19 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Quarta-feira, 08 de Maio de 2019, 15h:14 - A | A

ALTA DO PEPINO

Preço do pepino aumenta 65% por causa de pragas e chuva na Baixada Cuiabana

Imagem: Google

image

O excesso de chuvas e o aumento de pragas prejudicaram a produção de pepino na Baixada Cuiabana, causando prejuízos para pequenos agricultores. Comer pepino ficou mais caro na primeira semana de maio.

De acordo com o levantamento semanal realizado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), o preço do pepino saltou 65% em apenas 7 dias.

De R$ 30, a caixa com 21 quilos subiu para R$ 50. Na terça-feira (7), o pepino estava a um valor médio de R$ 6,79 nas gôndolas dos supermercados de Cuiabá.

Segundo a Seaf, o aumento do preço do pepino é consequência da menor oferta do produto. Outros três itens hortifrutigranjeiros também tiveram alta no valor de comercialização: o pimentão, a cenoura e a melancia.

A caixa com 22 quilos de cenoura está com preço de R$ 70, enquanto que na semana passada essa mesma quantidade custava R$ 60.

O quilo da melancia graúda era cotado a R$ 1,30, na terça passada. Hoje custa R$ 1,50. Tanto a cenoura quanto a melancia tiveram alta de 15% nos preços. Já com o pimentão, a inflação no preço foi de 25%. De R$ 40, a caixa com 10 quilos saltou para R$ 50.

A vagem e o tomate estão na contramão desse aumento, ao terem redução no preço comercializado.

A queda no valor do tomate foi de 15%, passando de R$ 118 para R$ 100 a caixa com 20 quilos. Já a da vagem teve redução de 12%, com preço de R$ 80 na semana passada, para R$ 70 hoje a caixa com 12 quilos. 

Cotação

A cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar é realizada semanalmente por técnicos da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Prefeitura de Cuiabá.

A pesquisa de preço é realizada na Central de Abastecimento de Cuiabá, levando em conta o preço mínimo, mais comum e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.

Imprimir




RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da





ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

logo
image