19 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Quarta-feira, 22 de Maio de 2019, 14h:51 - A | A

Ação do MPMT requer regularização do transporte escolar

Ministério Público

image

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso ingressou com ação civil pública, com pedido liminar, requerendo ao Poder Judiciário que determine ao município de Reserva do Cabaçal o prazo de 10 dias para regularização do serviço de transporte escolar. Conforme o MPMT, os veículos apresentam péssimas condições e necessitam urgentemente de adequações, consertos e até mesmo substituições. Nem mesmo o ônibus que faz o transporte dos alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais   está regular.

O MPMT cobra a aquisição de no mínimo mais dois ônibus ou vans escolares, já que o Município não possui veículo reserva. Pleiteia também a realização de vistoria em todas as estradas destinadas ao tráfego dos ônibus escolares para posterior adoção das medidas necessárias. Os motoristas que realizam o serviço também deverão por capacitação.

Segundo a promotora de Justiça Mariana Batizoco Silva, desde 2017 o Ministério Público vem tentando resolver a demanda no âmbito extrajudicial, mas não obteve êxitos. Nesses dois anos, além de realizar várias reuniões com os representantes do Poder Público, o MPMT também expediu ofícios e notificações recomendatórias, mas o município não efetuou o cumprimento integral das exigências requisitadas.

“Todos os anos aportam nesta Promotoria de Justiça inúmeras reclamações referentes à ausência do regular funcionamento do transporte escolar do Município de Reserva do Cabaçal/MT, as quais referem-se notadamente aos problemas técnicos dos ônibus escolares e às péssimas condições tanto dos veículos quanto das estradas por onde trafegam”, relatou a promotora de Justiça.

Na ação, a representante do MPE destaca que o descaso com o transporte escolar afronta a dignidade dos moradores da cidade. “ Não é a falta de recurso que inibe esta administração de bem cuidar de seus estudantes. É sim, a falta de compromisso com a educação”, complementou.

A ação civil pública, proposta no dia 16 de maio, foi recebida pelo Poder Judiciário que concedeu o prazo de 72 horas para o Município de Reserva do Cabaçal se manifestar.

Imprimir




RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da





ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

logo
image