TRINCHEIRA PERTO DA ARENA SERá INAUGURADA NO DIA ABERTURA DA COPA
29.05.2014
trincheiraverdao.jpg

 

Dentre as 5 trincheiras em execução em Cuiabá e Várzea Grande, a do Verdão/Santa Isabel é a única que já está na fase final, contudo, ainda a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) evitou dizer quando a obra será inaugurada, embora a estimativa dada ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) seja 31 de maio (sábado). Por enquanto, fala-se apenas que será antes do dia 12 de junho, dia da abertura da Copa do Mundo de 2014.

Ainda restam concluir a pintura dentro e fora da trincheira, além de passar a segunda camada do asfalto para corrigir imperfeições como os bueiros em alto relevo, causando riscos a motoristas, em especial aos motociclistas que podem cair na via. Outro problema é a rotatória com pavimento superior ao da pista, o que deixa os veículos mais len-tos para fazer a conversão.

As escavações para a obra iniciaram em 15 de maio de 2012 e a obra foi tocada pela Ster Engenharia ao custo de R$ 19,9 milhões. Contudo, em março de 2013, o Estado rompeu o contrato com a empreiteira, que havia concluído 27,56% da obra, de acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), mas que foram mal executados e apresentaram defeitos. A Ster Engenharia recebeu R$ 5,7 milhões pela obra.

A segunda empreiteira que passou a tocar a obra, a Métrica Engenharia, teve que refazer alguns serviços e vai receber R$ 19,9 milhões. Conforme a assessoria de comunicação da Secopa, não houve aditivos nesta obra.

No último relatório do TCE, a qualidade do serviço prestado pela Métrica também é alvo de questionamento. Conforme o documento, a obra está com aparência muito ruim, com falhas construtivas e existem diversos pontos com infiltração junto aos tirantes. “Não houve alinhamento perfeito e nem uma boa concretagem. Mesmo o lixamento e a pintura na cor verde ao invés de melhorar a aparência da trincheira, evidencia os defeitos no acabamento da cortina”, diz trecho do relatório.

Contudo, a empreiteira garantiu que entregará a obra com as correções.Outra razão para que a obra demorasse mais na execução foram os atrasos nos repasses de recursos para a empreiteira.

A Secopa chegou a demorar 5 meses para efetuar o pagamento.A falta de diálogo entre a Secopa e a CAB Cuiabá também foi constatado na obra da trincheira Santa Isabel, o mesmo que ocorreu nas trincheiras Jurumirim e Santa Rosa. “A interface da Secopa com as concessionárias de água e energia não foi muito boa”.

A direção da CAB Cuiabá mostrou, por meio de um cronograma, que os projetos de escavações não foram casados com os projetos executivos da CAB.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade