PACIENTES SãO TRANSFERIDOS DO PRONTO-SOCORRO DE CUIABá APóS SUPERLOTAçãO
29.05.2014
Pronto-Socorro de Cuiabá deve passar por reforma (Foto: Luiz Alves/Secom Cuiabá)
Pronto-Socorro de Cuiabá tem déficit de leitos
(Foto: Luiz Alves/Secom Cuiabá)

Dezesseis pacientes do Pronto-Socorro de Cuiabá foram transferidos desde o início desta semana para a Santa Casa de Misericórdia da capital. A mudança ocorreu porque na segunda-feira (26) a prefeitura assinou um termo com a unidade filantrópica para a transferência de 30 pacientes.  A medida pretende reduzir a superlotação da unidade de pronto-atendimento, além de ajudar a diminuir o déficit de leitos da instituição.

Para isso, a prefeitura deverá repassar R$ 322.550,00 mensais para a Santa Casa. Os leitos clínicos irão atender pacientes que se recuperam de cirurgias e que estejam com o quadro de saúde estabilizado. Dos 30 leitos, 26 são destinados a adultos e quatro são infantis. Os leitos infantis já foram todos ocupados. O restante deve ser ocupado conforme a demanda do pronto-socorro.

Todos os leitos devem ser regulados e encaminhados pelo Pronto-Socorro. A duração do contrato é de 90 dias, podendo ser prorrogado pelo mesmo período. Assim que for aprovada a habilitação da Santa Casa junto ao Ministério da Saúde na rede de urgência e rede de conveniado, o contrato será rescindido.

De acordo com a auditora de Qualidade da Santa Casa, Erika Auxiliadora Duarte Carvalho, os leitos estão preparados para receber os pacientes. A prefeitura admite que os leitos são uma solução temporária para o problema da saúde enfrentado pelo município. Segundo o prefeito da capital, Mauro Mendes (PSB), é necessário que o estado intervenha com repasses direcionados à saúde, já que a capital está no limite, pois atende também aos moradores de outros municípios da Baixada Cuiabana e cidades do interior do estado.

 Denúncia
Neste domingo (25), o Fantástico exibiu uma reportagem onde foi mostrado o resultado do primeiro estudo realizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para entender o que há de errado na saúde brasileira. Foram analisados 116 hospitais públicos, entre eles, o Pronto-Socorro da capital.

Entre as acusações está a de que faltavam médicos nos plantões da UTI no Pronto-Socorro de Cuiabá. “É como estar num avião sem piloto. Não foram nem um nem dois casos de pacientes que poderiam ter saído vivos das UTIs do pronto-socorro e não saíram. Saíram mortos. Porque eles não tiveram o cuidado adequado. Isso acontece frequentemente”, declarou um médico que trabalha no local e preferiu não se identificar.

Por conta disso, uma sindicância foi instaurada na segunda-feira (26) pela Prefeitura de Cuiabá para apurar denúncias de que a UTI funcionava sem médicos em determinados períodos. A comissão responsável pela investigação também deverá apurar as circunstâncias da morte da paciente Alaíde Ventura da Silva, ocorrida na última quinta-feira (22), e que aguardava uma cirurgia naquela unidade de saúde. Os resultados da sindicância deverão ser apresentados em um prazo de três dias, conforme a assessoria da prefeitura.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade