PONTE é BLOQUEADA MAIS UMA VEZ POR OBRAS DO VLT
29.05.2014

Nova ponte está sendo construída ao lado da estrutura já existente

A passagem sobre a Ponte Júlio Müller, no sentido Várzea Grande-Cuiabá, no bairro do Porto, vai ser bloqueada temporariamente nesta sexta-feira (30), para lançamento das últimas vigas pré-moldadas (superestrutura) sobre a ponte que está sendo construída em anexo à estrutura já existente, como parte das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), na Capital.

Segundo o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, responsável pela execução da obra de R$ 1,477 bilhão, a interrupção da circulação de veículos durante o lançamento visa a garantir a segurança na atividade, tanto para os trabalhadores quanto para os motoristas.

Apesar de não ter o horário especificado da atividade, ela será executada durante o dia e os motoristas devem evitar o tráfego pelo local.

Ao todo, deverão ser lançadas cinco vigas de 40 metros de comprimento. Após essa fase, o consórcio iniciará o lançamento da pré-laje, seguida das demais atividades que compreendem a continuidade com o tabuleiro (laje), pavimento, new jersey, guarda-corpo, iluminação, sinalização e demais itens de acabamento.

Edson Rodrigues/Secopa

Pista que faz o sentido Várzea Grande-Cuiabá será bloqueada temporariamente nesta sexta-feira (29)

Segue em andamento a execução das obras de interligação das avenidas à ponte, iluminação, sinalização, entre outros.

A obra


A nova estrutura da Ponte Júlio Müller está sendo construída à jusante do rio, do lado direito da ponte existente no sentido Várzea Grande-Cuiabá.

A obra começou em junho de 2013, com as atividades de limpeza do terreno para posterior estrutura (ponte branca) para executar a fundação.

Com quase 350 metros, a nova ponte será usada para o tráfego geral de veículos.

Já a ponte central, que hoje está bloqueada, será reestrutura e reforçada para a implantação da via permanente, sendo usada exclusivamente para passagem do VLT.
A outra ponte, sentido Cuiabá-Várzea Grande, também será reforçada, mas continuará atendendo ao mesmo fluxo.

As obras no local pertencem ao Eixo 1 (CPA-Aeroporto) do VLT e são executadas pelo Consórcio VLT Cuiabá – formado pelas empresas Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda. e Astep Engenharia Ltda.

Ao todo, o metrô de superfície percorrerá 22,2 km, divididos em dois eixos.

O Eixo 1, que ligará a região do CPA, em Cuiabá, ao Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, terá 15 km. Esse trajeto contará ainda com dois terminais de integração (CPA e André Maggi).

Na via também serão construídas 22 estações, bem como os dois terminais e obras de arte (viadutos, pontes e trincheiras).

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade