REVOLTADOS, POPULARES TENTAM LICHAR ASSALTANTES EM VáRZEA GRANDE
30.05.2014

Os populares só pararam de agredir o acusado de assalto com a chegada da PM

Weslei Francisco da Conceição, de 26 anos, foi espancado por populares, após assaltar uma mulher, em companhia de um cúmplice, na Avenida Couto Magalhães, no centro da cidade de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.

Ele tentou fugir numa motocicleta Suzuki, mas caiu do veículo. Em seguida, ele tentou fugir a pé, mas foi alcançado por populares, que o surraram, acertando chutes e murros.

O fato foi registrado na madrugada desta sexta-feira (30), por volta das 3 horas.

Policiais militares que passavam pelo local salvaram o suspeito do linchamento e o colocaram numa viatura.

Ele teve que ser medicado no Pronto Socorro de Várzea Grande. Em seguida, foi levado para a Central de Flagrantes e autuado por roubo.

Conforme a vítima, cujo nome não foi revelado, ela caminhava pela avenida quando foi cercada pela dupla de assaltantes que estava na motocicleta.

O que estava na garupa disse estar armado e exigiu o celular da mulher, que o entregou.

Na fuga, a motocicleta falhou e o bandido da garupa fugiu a pé.

O outro tentou ligar o veículo e caiu, sendo espancado por populares, revoltados com o assalto.

Dias de fúria

Na noite de quarta-feira (28), um homem acusado de assaltar um salão de beleza, no bairro Mapim, também em Várzea Grande, também foi surrado por populares quando saía do local.

Radilson Medeiros de Oliveira, de 31 anos, foi surrado por populares, que ajudaram as duas vítimas que saíram atrás dele, por volta de 16 horas.

Revoltadas, as duas mulheres que foram assaltadas pegaram um porrete, que estava escondido atrás da porta e ajudaram a surrar o acusado.

Armado com um revólver calibre 38, ele atirou para o alto, mas o disparo não intimidou as pessoas, que caíram em cima dele acertando chutes e murros.

Ele foi salvo por PMs, que foram acionados por moradores. Radilson foi levado ao Pronto Socorro de Várzea Grande, antes de ser levado para a Central de Flagrantes. O revólver foi apreendido e levado para a delegacia.

Conforme as vítimas, elas estavam no salão atendendo clientes, quando o homem invadiu o local, armado com um revólver e tomou a bolsa com celulares e outros pertences.

Assim que ele saiu, uma das mulheres o seguiu e o agarrou por trás para tentar tomar a arma.

Assim que ele começou a ser espancado, apareceram mais pessoas que participaram da surra, que só terminou com a chegada dos policiais militares.
As duas mulheres disseram que esse é o quinto assalto que sofreram e uma delas acabou não aguentando mais e reagiu correndo atrás do assaltante. Elas não informaram que o suspeito é o mesmo de todos os assaltos.

Como estava muito lesionado, o suspeito não foi ouvido pelos policiais. “Ele (Radilson) não conseguia nem andar direito por causa da surra”, explicou um policial.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade