'PRIORIDADE é SINALIZAR VIAS E MONTAR FAN FEST', DIZ SECRETáRIO DA COPA
02.06.2014

 

Maurício admitiu que a falta de leitos de hotéis é grave (Foto: Edson Rodrigues/ Secom-MT)
Maurício Guimarães disse que governo trabalhou
para o evento (Foto: Edson Rodrigues/ Secom-MT)

O secretário extraordinário da Copa em Cuiabá, Maurício Guimarães, disse que a prioridade na semana que antecede a Copa do Mundo é a sinalização das vias, principalmente entre o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, e a Arena Pantanal, onde serão realizados os jogos, na capital, e a conclusão da montagem do Fifa Fan Fest, no Parque de Exposições Jonas Pinheiro, na Avenida Beira Rio, na capital. Ele disse ainda que, daqui a 10 dias, a cidade estará preparada para receber os turistas, embora a maioria das obras projetadas para o mundial ainda não estará pronta.

A liberação das avenidas que estavam interditadas para a execução das obras e plantio de grama nos canteiros dessas principais avenidas, como a Historiador Rubens de Mendonça e Feb, em Várzea Grande, região metropolitana da capital, também estão entre os trabalhos executados com prioridade nessa reta final. "Estamos trabalhando muito para a relização de um grande evento em Cuiabá", declarou, em entrevista à rádio Centro América FM, nesta segunda-feira (2).

"A sinalização de algumas obras são importantes para ter sucesso na Copa do Mundo, como do viário da Feb, do viaduto da Dom Orlando Chaves, e dos dois COTs [ Centros Oficiais de Treinamento]", afirmou. Maurício avaliou que os atrasos na conclusão das obras se deve a alguns impasses, como a adequação de alguns projetos, mas que os principais já foram executados, entre eles a Arena Pantanal.

Para ele, o importante é que as obras sejam finalizadas, independentemente de ser após a Copa. "Trabalhamos para que ficassem prontas na Copa, mas o importante é que logo no período pós Copa já estejam concluídas", disse. Das 56 obras previstas para o mundial, apenas 22 devem ser entregues até a data do evento. A maior delas, no caso do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), não deverá ficar pronta. O VLT custará R$ 1,4 bilhão.

Em relação à mobilidade urbana durante a Copa, já que milhares de chilenos e colombianos devem chegar em Cuiabá de ônibus, Guimarães afirmou que essa questão está prevista no plano de mobilidade urbana elaborado para a Copa e que os veículos devem ficar estacionados em locais que não prejudiquem o trânsito da capital. "Todos terão um local definido para estacionar esses ônibus e, de lá, sairão em ônibus para a Arena Pantanal. Será uma permanência tranquila [dos turistas]", avaliou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade