ENFERMEIROS AMEAçAM GREVE A PARTIR DO DIA 3 E TEMEM ‘BANHO DE SANGUE’ EM CUIABá
03.07.2014

Os profissionais da enfermagem de Cuiabá definirão, nesta quinta-feira (03), o início da greve da categoria. O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Mato Grosso, que representa a categoria já antecipou que os profissionais estão “exaustos e não aceitam mais adiar a paralisação” -  e já estão com indicativo aprovado. O presidente do sindicato, Dejamir Soares, ressalta que o movimento foi adiado durante dois meses para evitar “um banho de sangue” em Cuiabá. Caso aprovada, o atendimento no Pronto-Socorro de Cuiabá, Unidade de Pronto Atendimento da Morada do Ouro e nas 5 policlínicas deverão ser prejudicados. 

Dejamir Soares aponta que além da desvalorização profissional, todos estão “atuando dentro do limite de sua capacidade” em que executam uma carga horária exaustiva de 40 horas semanais e recebem um salário inicial de apenas R$ 1.740 por mês. A assembleia geral está agendada para a tarde desta quinta, no estacionamento do Pronto-Socorro de Cuiabá.

Para Dejamir, está quase certo que a greve dos enfermeiros será deflagrada nesta quinta. A certeza parte de uma avaliação do sindicalista que relatou o que tem sido observado em suas visitas nas unidades. “Há dois meses tentamos evitar um banho de sangue”. 

“Nós tentamos evitar a paralisação, pois ela trará uma situação pior do que a ocorreu em Várzea Grande no mês passado”, avalia. O sindicalista remete a greve dos enfermeiros que atuam no Pronto-Socorro de Várzea Grande que paralisaram suas atividades por dois dias devido ao atraso no pagamento dos vencimentos. O movimento provocou um caos na saúde pública daquele município e consequentemente sobrecarregou ao da capital do Estado. Durante a greve os atendimentos no Pronto-Socorro de Cuiabá  dobraram.

A reivindicação é a quanto a equiparação da carreira de enfermeiro com a dos odontólogos e médicos.  “O salário inicial de um médico e de um dentista é de R$ 3.500, para 20 horas semanais, nós ainda estamos pedindo um vencimento de R$ 3 mil para 40 horas semanais”, pontua. Conforme Dejamir, a prefeitura chegou a apresentar uma contra proposta de aumento, 3%, para a classe. Um reajuste que acrescentaria apenas R$ 52 nos vencimentos mensais. 

Em toda capital existem 1.140 profissionais da enfermagem que atuam no Pronto-Socorro de Cuiabá, Unidade de Pronto-Atendimento – instalada no Bairro Morada do Ouro – além de cinco policlínicas e 126 unidades de saúde familiar. 

Ainda conforme o presidente do sindicato, o projeto que prevê a readequação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários deveria ter sido encaminhado para a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) até o último dia 30, entretanto não foi encaminhado, devido aos recessos da Copa e das eleições. 

Nesta quarta-feira (2), uma nova rodada de negociações foi realizada juntamente com a Prefeitura de Cuiabá, porém, conforme o presidente do sindicato não houve avanço. “A gestão está irredutível”, asseverou.

Outro lado

De acordo com a Secretaria de Saúde do Município, por meio de sua assessoria, a Prefeitura já apresentou uma contraproposta à classe que deverá ser avaliada em assembleia da categoria na quinta-feira, às 14h. Já com relação ao Plano de Cargos Carreira e Salário, informou que todas as reivindicações foram acatadas e que a Prefeitura juntamente com a categoria está em estado de negociação. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade