TERMINA NESTA SEXTA PRAZO PARA EMPRESA PRESTAR CONTAS
25.04.2014

 

 

 

 

Empresário ainda não revelou qual foi a bilheteria do jogo na Arena

 

 

 

O prazo para que o empresário Mário Zeferino apresente à Justiça do Trabalho a prestação de contas do jogo entre o Mixto Esporte Clube e o Santos Futebol Clube, realizado no dia 2 de abril, na Arena Pantanal, termina nesta sexta-feira (25).

A informação é do Núcleo de Conciliação do Tribunal do Trabalho de Mato Grosso, onde tramitam processos em fase de execução de dívidas trabalhistas do clube, que podem chegar a R$ 1 milhão.

O valor arrecadado com a partida, que foi destinada ao clube, deverá ser repassado a Justiça, conforme determinação judicial.

A medida não atinge apenas a bilheteria do jogo, mas todas as verbas, como cota de patrocínio, venda de camarotes, direitos de transmissão da partida, entre outros.

Caso a prestação de contas não seja enviada ao Tribunal, dentro do prazo previsto, junto com o valor devido, a responsabilidade será imputada ao empresário que foi contratado pelo Mixto para fazer a gestão da partida.

Pelo que consta no andamento processual, nem mesmo a parte devida ao empresário, pelos serviços prestados, deverá ser abatida desse valor.

Conforme o contrato assinado entre Mixto e a MS Produções, Eventos e Promoções, de propriedade de Zeferino, ele deveria ficar com 30% do valor arrecadado e, ao clube, caberia os 70%.

Acordo com a Justiça

Antes da realização da partida, no mês de março, o empresário e o presidente do clube, Eder Moraes, participaram de uma reunião no núcleo.

Na oportunidade eles foram informados de que o valor arrecadado com o jogo seria sequestrado para o pagamento das dívidas trabalhistas.

O objetivo era tentar formalizar mais um acordo com o clube para a amortização, pelo menos da dívida principal, que se aproxima do valor de R$ 300 mil.

O presidente do clube não deu nenhuma garantia de que pudesse quitar a dívida. Assim, a Justiça determinou que o valor arrecadado com a partida seria para cobrir os processos.

O empresário foi intimado da decisão no dia 21 de março, conforme consta no processo.

Descumprimento

Durante toda esta semana, o núcleo tenta fazer o levantamento dos valores devidos nos processos, incluído multas processuais.

O valor principal não passa de R$ 300 mil, contudo, em decorrência do Mixto ter firmado vários acordos judiciais, e não cumprido a sua maioria, o valor estimado estaria próximo do R$ 1 milhão.

 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade