JOVEM é EXECUTADO EM FRENTE à IGREJA E HOMEM MATA POR CIúME
08.07.2014

Um jovem ainda não identificado pela Polícia Civil foi executado com cinco tiros no final da tarde desta segunda-feira (7), em frente da igreja Nossa Senhora da Guia, na Avenida Fernando Correa, região do Coxipó, em Cuiabá. O autor dos disparos chegou na garupa de uma moto Fan de cor preta e estava acompanhado de outro jovem, de estatura mediana. 

A vítima estava aguardando ônibus em frente à igreja quando foi assassinado. Pessoas que passavam pelo local disseram que ele foi atingido nas costas e na cabeça. “Quem matou descarregou o revólver nele”, disse uma testemunha. Provavelmente, o jovem foi executado por causa de acerto de contas.

Policiais do 1º Batalhão foram acionados e agentes da perícia técnica juntamente com investigadores da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) também foram acionados. 


O assassinato aconteceu por volta das 18h, no momento em que várias pessoas estavam no ponto de ônibus. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) confirmou o óbito do jovem, que provavelmente foi morto a mando de alguém. 

CRIME PASSIONAL
Uma mulher de 27 anos foi assassinada pelo companheiro no final da manhã desta segunda-feira (7) por motivo passional, no município de Chapada dos Guimarães, distante 60 km de Cuiabá. O autor do crime não aceitava o fim do relacionamento e quando a mulher voltou na casa para recolher seus pertences morreu com cinco tiros. 

Érica Ângela Martins, 27, estava no processo de separação com João Rocha dos Santos, que trabalhava como caseiro de um sítio na região da Cohab. De acordo com a Polícia Civil de Chapada, ela havia saído de casa na última semana e veio a Cuiabá. Quando retornou hoje para casa foi morta. 

“Ele descarregou um revólver 38 nela. Foram cinco tiros, o que comprova a vontade que ele tinha de matá-la. A causa foi passional. Ele simplesmente por não aceitar o fim do relacionamento a matou”, disse o delegado Bruno Lima, titular da delegacia regional de Chapada. 

A mulher foi morta com dois tiros nos braços, dois no joelho e um na cabeça. No momento do ato, a filha de João estava na casa. Ela tem 13 anos e não comentou sobre o assunto. “Provavelmente ela viu tudo. Por estar muito constrangida com tudo isso, a psicóloga da Polícia Civil a amparou e depois que passar a fase da emoção iremos interrogá-la”, afirmou o delegado. 

O corpo de Érica ficou caído na parte de fora da casa, próximo da arma utilizada pelo crime. A suspeita dos policiais é que João tenha fugido para uma região conhecida como “Buracão”. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade