PARTIDO ESTá INATIVO E NãO PODERá DISPUTAR ELEIçãO DESTE ANO
04.07.2014

Depois de abandonar o projeto do senador Pedro Taques (PDT) para encarar a disputa ao lado de José Riva (PSD) o PPL não conseguiu entrar na coligação por problemas com a Justiça Eleitoral. O partido está impedido de lançar candidatos neste ano e só poderá dar apoio ‘branco’ à chapa do social-democrata. 

Conforme o presidente regional da legenda, Adolfo Grassi, o impedimento porque diretório regional de Mato Grosso está inativo. Segundo ele, a direção nacional da sigla não fez a ativação a tempo hábil e por isso a legenda deve ficar de fora.

Grassi informou o fato na manhã desta quinta-feira (03) aos pré-candidatos da legenda. “É com o coração partido que faço esse anúncio, porque todos trabalharam muito para serem candidatos”, diz. 

Ressalta que ainda busca uma forma de entrar na disputa. Para isso a legenda deve entrar com um processo na Justiça na busca por concorrer ao pleito. 

No entanto, Grassi destaca que pode não ser interessante, uma vez, que a legenda teria que disputar com chapa pura, o que dificultaria alcançar os números de votos necessários para eleger um candidato.

Inicialmente o partido entraria na disputado dando apoio à candidatura do senador Pedro Taques (PDT). Entretanto, no dia da convenção a legenda mudou de lado e passou a apoiar à candidatura de José Riva ao governo. 

O partido passou a ser conhecido no Estado depois de disputar a Prefeitura de Cuiabá em 2012. Na ocasião, Grassi foi o candidato ao comando do Alencastro e fez sua campanha atacando o então candidato Mauro Mendes (PSB). 

Chegou-se a cogitar que a legenda estaria sendo usada no pleito como laranja da candidatura de Lúdio Cabral (PT), devido aos sucessivos ataques ao empresário. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade