PACIENTES SãO CARREGADOS ATé 3º ANDAR DA SANTA CASA APóS ELEVADOR QUEBRAR
11.07.2014

O prédio que abriga a Santa Casa de Araraquara (SP) está sem o elevador principal há nove dias. O ascensor, que teve o motor fundido no último dia 2, é o único que sobe até o terceiro andar, já que o outro leva somente ao primeiro, onde fica a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Pacientes internados que precisam de exames ou cirurgias têm que ser transportados de forma improvisada pela escada. O hospital reconheceu o "desconforto" e informou que o problema será resolvido apenas na segunda-feira (14).

A situação revoltou a dona de casa Neusa Eliana Ferreira Gonçalves, que viu a mãe, de 75 anos, ser carregada por enfermeiros, na quinta-feira (10). "Minha mãe foi fazer a cirurgia para a colocação de um marca-passo em uma cadeira de rodas. Desceu pela escada, com seis pessoas ajudando. Uma segurava o oxigênio e as outras a carregavam. Ela operou e voltou do mesmo jeito, após uma cirurgia no coração", reclamou Neusa.

Havila Tavares Ferreira, mãe de Neusa, está internada em um quarto do terceiro andar, na ala destinada a pacientes com planos de saúde. A filha, que está de acompanhante, disse que constatou o problema assim que as duas deram entrada no hospital, na última quinta-feira (3).

Filha ficou revoltada ao ver a mãe sendo carregada várias vezes em hospital de Araraquara (Foto: Neusa Gonçalves/Arquivo pessoal)
Funcionários carregaram paciente e oxigênio
(Foto: Neusa Gonçalves/Arquivo pessoal)

"Minha mãe foi fazer uma chapa depois que fez a cirurgia. E teve que descer para o raio-x novamente de forma errada. Também vi uma senhora descer para fazer um ecocardiograma nas mesmas condições. Anteontem (quarta-feira), uma senhora teve ataque cardíaco e foi na maca para a UTI, que é no primeiro andar. Como um socorro pode ser feito no meio de uma escada?", questionou a acompanhante.

Problema antigo
Em maio, a idosa já havia passado pelo local, quando foi submetida a um cateterismo. "Nessa época, o elevador já apresentava problemas. Comigo, por exemplo, parou várias vezes fora do nível. Depois disseram que voltou a funcionar, até quebrar de vez", disse

Esforço
A dona de casa ainda se solidarizou com o esforço dos funcionários. "Eu acho isso um absurdo. Eles correm o tempo todo, do térreo até o terceiro andar, para pegar remédios. Isso cinco, dez vezes, cansa demais. As copeiras sofrem levando a comida, o café e o chá da tarde na mão, tudo isso subindo escadas", observou.Neusa.

Santa Casa
O hospital atende 23 cidades da região, o que totaliza cerca de 700 mil habitantes. Emprega 500 funcionários ativos e 200 médicos.

A entidade reconheceu que o elevador quebrou no último dia 2 e lamentou o desconforto causado. Disse também que o risco de paralisar os procedimentos nos pacientes seria maior do que o de transportá-los pelas escadas. 

Informou ainda que o modelo do elevador tem mais de 40 anos e não há peças de reposição compatíveis no mercado. O motor fundido foi enviado a uma retífica em Campinas (SP), mas voltou a apresentar problemas. O hospital reenviou a máquina ao conserto e espera solucionar o problema até a próxima segunda-feira (14).

Em um prazo de 60 dias, a Santa Casa ganhará um novo elevador, que foi encomedado após uma parceria com uma indústria da cidade. O hospital também anunciou recentemente um pacote de obras de ampliação orçado em R$ 27 milhões.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade