PF PRENDE EM MT GERENTE E MAIS 5 EM OPERAçãO CONTRA FRAUDE NA CAIXA
18.07.2014

Seis pessoas foram presas na operação ‘13 de Junho‘ deflagrada pela Polícia Federal nesta sexta-feira (18) contra um esquema de empréstimos fraudulentos na Caixa Econômica Federal. Dos detidos, quatro são mulheres, entre elas a mulher e a irmã do suposto chefe da quadrilha que trabalhava como gerente de uma agência localizada na Rua 13 de Junho, em Cuiabá. O cunhado dele também foi preso.

Por meio de nota, a Caixa Econômica Federal informou que está contribuindo com o trabalho de investigação e que prestará todas as informações requeridas pela Polícia Federal.

Outro funcionário dessa agência onde funcionava como central do esquema foi conduzido até a sede da Polícia Federal para prestar esclarecimentos. Os agentes, acompanhados do delegado Diógenes Curado, foram até a unidade, onde também foram apreendidos documentos, e não encontraram o funcionário. Ele estava em férias e foi encontrado na casa dele.  

PF apreendeu documentos em agência bancária no Centro de Cuiabá (Foto: Pollyana Araújo/ G1)PF apreendeu documentos em agência bancária no Centro de Cuiabá (Foto: Pollyana Araújo/ G1)

Esse funcionário teria assinado um documento a pedido do gerente da agência para a liberação de empréstimos e alegou que não sabia do que se tratava a transação. Após prestar depoimento, foi liberado. De acordo com a PF, o líder do esquema e gerente da agência simulava a contratação de empréstimos consignados em nome de supostas ‘laranjas‘ e informava que o empréstimo seria para servidor público. O esquema teria fraudado pelo menos R$ 3,2 milhões.

Entre os presos está a correspondente bancária Marilise Gomes. Ela foi levada para a sede da PF, prestou depoimento e depois foi levada para a Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá. O advogado dela, Marciano Xavier das Neves, alegou que a cliente não tem nenhum envolvimento com os crimes ocorridos na instituição bancária. "Ela desconhece a ilicitude dos empréstimos e imaginava que se tratava de uma operação bancária normal", afirmou ao G1.

Em Denise, a 208 km de Cuiabá, a PF prendeu a empresária Mirlene Antunes de França. Ela foi levada para Cuiabá, onde deverá prestar depoimento sobre o caso. O G1 entrou em contato com o advogado dela, Fabian Feguri, o qual informou que primeiro irá tomar conhecimento do caso que levou à decretação da prisão temporária da empresária para depois se pronunciar sobre o assunto.

Ao todo, foram cumpridos 37 mandados de busca e apreensão e 24 mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para a delegacia para prestar depoimento. Conforme a PF, a investigação começou em abril deste ano após ser identificada a existência de uma associação criminosa chefiada por funcionário da Caixa Econômica. Os envolvidos devem responder pelos crimes de gestão fraudulenta de instituição financeira, peculato, corrupção ativa, lavagem de capitais e associação criminosa.

Os mandados foram cumpridos em Cuiabá, Várzea Grande, região metropolitana da capital, Denise, Nova Marilândia, Arenápolis, Nobres, Novo São Joaquim, Cáceres e Morrinhos (GO).

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade