ARGUMENTOS DE JAYME NãO CONVENCEM
23.07.2014

O analista político, Alfredo da Mota Menezes avaliou que os motivos da desistência do senador Jayme Campos (DEM) de disputar a reeleição, não foram convincentes e que há outros motivos por trás disso. “Os argumentos não estão claros. Não é só porque ele não apareceu no banner ou nos santinhos, tem mais coisa por trás. Futuramente o verdadeiro motivo deverá aparecer”.

O professor lembrou o embate entre o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB) e o deputado federal, Júlio Campos, onde ambos ficaram trocando acusações e farpas. Tudo começou após a aproximação do PR - partido da base governista -, com o grupo de oposição, intermediado por Mendes. O PR já contava com a candidatura do deputado federal, Wellington Fagundes e o DEM, naturalmente com Jayme.

Os democratas não aceitavam de nenhuma forma a vinda dos republicanos ao grupo. Mendes para tentar convencer outros partidos, disse que o arco poderia lançar dois candidatos ao Senado, o que foi duramente criticado por Júlio, que chegou a dizer que “Mauro é um bom empresário, mas como político está muito aquém e ainda falta muito pra ele aprender, pois esta colocando idéias sonhadoras”.

O prefeito, por sua vez, rebateu de forma pesada, com uma nota encaminhada pelo PSB, insinuando que os democratas representam a velha política e que a forma dele de fazer política é “muito diferente dos conchavos clandestinos do passado, feitos na calada da noite e marcados por acertos financeiros e acordos pessoais espúrios do deputado Júlio Campos”.

As rusgas devem ter começado a partir daí, na avaliação do professor, pois Jayme alegou em nota encaminhada à imprensa, na tarde desta terça-feira (22), que desistiu pela “falta de unidade na coligação” e acusou “integrantes de alguns partidos e determinadas lideranças que não agiram de forma ética e não se comportaram como aliados”.

Sobre uma eventual possibilidade de Mauro Mendes ter articulado, propositalmente para que Jayme desistisse da candidatura, o professor descartou. “Que tem ruído desagradável entre os Campos e Mauro Mendes, isso é notório. Mas, todos foram pegos de surpresa. Além do mais, houve também o fato de Wellington Fagundes dizer que o prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz (PPS) declarou apoio a ele e o próprio Percival não negou e confirmou que Taques ainda sabia”.

A desistência de Jayme, que apontava em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, para Mota Menezes beneficia a candidatura de Fagundes. “O produtor rural, Rui Prado (PSD) também será contemplado, mas Fagundes é parlamentar pelo sexto mandato, isso conta muito, o fato da visibilidade política dele”.

O professor finalizou destacando que a data de hoje, dia 22 de julho, será histórica para Mato Grosso. Primeiro, pelo fato da desistência do democrata, que desde que ingressou na vida pública, nunca recuou de uma campanha e sempre se elegeu aos cargos que disputou. E segundo, pelo fato do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ter cassado o mandato de Júlio.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade