VEREADORES ROMPEM COM TAQUES PARA APOIAR RIVA
25.07.2014

Desentendimentos na escolha do líder de coordenação de campanha do senador Pedro Taques (PDT), na Câmara Municipal de Cuiabá, provocou a debandada de pelo menos 14 do total de 25 parlamentares para o palanque do adversário, líder da chapa majoritária do PSD, deputado José Riva.

Três fontes confirmam que o número pode chegar a 18 até o próximo fim de semana, quando deverá ser anunciado oficialmente o apoio ao pessedista. No rol de apoiadores de Riva, constam nomes ligados ao PDT de Taques e ainda ao PSB do prefeito Mauro Mendes, um dos principais entusiastas da campanha do senador.

A ruptura ocorreu, segundo fontes, recentemente, em reunião organizada pelo presidente do Legislativo, Júlio Pinheiro (PTB). No encontro, o petebista havia definido o nome do vereador Dilemário Alencar, do mesmo partido, para “gerir” as ações até então em favor do projeto de Pedro Taques. Essa posição já havia sido anunciada para os parlamentares presentes, quando teria chegado “atrasado” ao encontro o senador Pedro Taques, acompanhado do secretário de Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Domingos Sávio (Pros).

Ao “interromper” a reunião, Taques comunicou que Sávio seria seu coordenador das ações visando aglutinar a maioria dos parlamentares no Legislativo. A base de apoio de Mauro Mendes soma 23 vereadores. A posição do candidato ao governo pedetista teria irritado Pinheiro, contrariado em sua decisão.

Nesse instante, deuse início a uma longa discussão entre o presidente da Casa de Leis e Pedro Taques. O mal estar teria sido tão profundo, que não teriam faltado ingredientes apimentados no bate boca, em nível que chegou aos “palavrões” (palavras de baixo calão). Quem esteve presente, assegura que a tônica do encontro gerou revolta na maioria dos parlamentares, que chegaram a tachar Taques de uma pessoa que “não teria domínio de relação política”, ou seja, carece da malícia da lida para com as nuances da política.

Estava previsto novo encontro para tratar do tema na noite de ontem, tendo sido adiado em razão da agenda de líderes do PSD. Nesse viés, alguns vereadores que fazem parte do bloco de apoio de Pedro Taques, na linha mais próxima, chegaram a enviar recado na tentativa de se aproximar do “time em favor de Riva”. Esses parlamentares é que poderão elevar consideravelmente o leque de respaldadores do pessedista, projetando uma vitória esmagadora de Riva sobre Taques na Câmara Municipal.

No período eleitoral é comum militantes e donos de mandato investirem apoio em candidatos adversários. Nesse cenário, independentemente das regras da fidelidade partidária, se sobressaem os políticos com destreza para amarrar apoiadores. Uma das maiores virtudes de José Riva é conseguir aliados, independente de projetos políticos ditados por majoritárias.

A condução dessa tática estaria sendo exercida por líderes que integram a coordenação de campanha do pessedista, e que conhecem com sabedoria os corredores do Legislativo de Cuiabá. O mesmo procedimento estratégico vem sendo realizado pelo PSD em outros Legislativos do Estado, com meta de arregimentar a maioria dos parlamentares para os planos de vencer o embate eleitoral.

Os trabalhos contam com liderança de Ismaili Donassan, presidente da União das Câmaras Municipais dos Vereadores de Mato Grosso (Ucmmat). A liderança de Riva também é reconhecida entre prefeitos, que somam aproximadamente 80 nos cálculos do PSD, sob presidência do vice-governador Chico Daltro.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade