FUNCIONáRIOS AGUARDAM FECHAMENTO DE úLTIMAS LOJAS
29.07.2014

Funcionários da rede de supermercados Modelo, maior grupo de Mato Grosso, aguardam o fechamento das últimas três lojas. A empresa ainda não fez nenhum pronunciamento, porém todos os indícios levam a crer que os estabelecimentos devem fechar até o final desta semana. Falta de mercadorias, lojas sujas e a insatisfação de clientes, fazem parte do cotidiano dos funcionários, que seguem assustados pela ausência de informações da diretoria.

Os advogados do grupo negam o fechamento das lojas e alegam que já pediram para a Justiça uma Assembleia para os dias 13 e 21 de agosto, para discutirem os pagamentos de dívidas com os credores e liquidação de bens.

Um funcionário que prefere não ser identificado, afirma que a expectativa é que em breve ocorra o encerramento das atividades. "Não tem produtos, não tem clientes, não tem mais manutenção. Isso só pode indicar o fechamento".

A situação da rede tem se agravado mês após mês. O representante de uma distribuidora, que era fornecedora dos supermercados, afirma que há muito tempo não há a aquisição de produtos para venda nas lojas. "Sei que o mesmo ocorre com outros fornecedores da rede".

A rede iniciou as atividades em Mato Grosso em 1984. Em 1993, o antigo Atacado Modelo passou a ser Modelo IGA Distribuidor, sendo transferido para avenida Governador Julio Campos, em Várzea Grande, para atender todo o estado de Mato Grosso e Rondônia, com mais de 4.000 itens disponíveis para os 3.000 clientes ativos. Em 2011, a ampliação, inovação e reconhecimento marcaram o ano do Grupo Modelo.

Desde janeiro de 2013 o grupo já encerrou as atividades nas lojas do Hiper Modelo Santa Rosa, o atacado Beira Rio e as filiais no Pantanal Shopping e Rondon Plaza Shopping, em Rondonópolis (212 Km ao sul de Cuiabá). 

Em maio de 2014, a rede de supermercados Modelo fechou mais uma unidade do grupo. Desta vez, a loja da avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha) teve as atividades suspensas. Antes, os supermercados dos bairros CPA 1 e CPA 3 paralisaram as atividades nos dias 27 e 28 de maio respectivamente. Neste mês, mais duas lojas foram fechadas. As unidades do bairro Cristo Rei e Ipase, em Várzea Grande.

Credores estimam em R$ 200 milhões as dívidas do grupo, que completa este ano, 30 anos de funcionamento. (Colaborou Evania Costa)

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade