JUSTIçA CONFISCA BENS DO CANTOR SERTANEJO RENNER
01.08.2014

Renner, da dupla com Rick, poderá perder mais de R$ 2 milhões em bens materiais para o pagamento de indenização às famílias das duas vítimas fatais do acidente de carro provocado por ele, em 2001.

Tudo porque a Justiça de São Paulo, em primeira e segunda instâncias, considera que o patrimônio do sertanejo deve ser, de fato, utilizado para auxiliar financeiramente os parentes que perderam seus entes queridos na ocasião.

Até hoje, pouco mais de R$ 350 mil foram pagos às famílias das vítimas. “É menos de 10% do valor total”, reclamou o advogado de acusação, Paulo Ciccone, ao jornal "Extra".

O profissional ressaltou ainda que o artista repassou bens e empresas para o nome de familiares e pessoas físicas para evitar que eles fossem usados para quitar a ação indenizatória.

Apesar de nada constar em seu nome, Renner vive ainda numa mansão em Alphaville, região de luxo localizada na Grande São Paulo. 

A assessoria de imprensa do cantor, por sua vez, disse que o famoso não irá se pronunciar acerca do assunto. 

O acidente

O carro que Renner dirigia pela rodovia Luiz de Queiroz, sentido Piracicaba-Campinas, na altura de Santa Bárbara D’Oeste - interior de São Paulo -, atingiu o engenheiro químico Luís Antônio Nunes Aceto e a namorada dele, Eveline Soares Rossi, no dia 20 de agosto de 2001.

O casal andava em uma motocicleta quando o cantor, a cerca de 160 quilômetros por hora, perdeu o controle do automóvel e invadiu a outra pista.

Apesar disso, Renner nunca chegou a ser preso. Em 2013, ele pagou uma multa à Justiça no valor de R$ 244 mil e se comprometeu a prestar serviços comunitários para se livrar da detenção de três anos e seis meses.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade