EMPRESáRIOS PODEM PEDIR ANULAçãO DE CONTRATO DA CA
05.08.2014

Um grupo de pelo menos dez empresários do segmento da construção civil da Capital se organiza, nos bastidores, para questionar judicialmente os termos do contrato da CAB Ambiental com a Prefeitura de Cuiabá. 

O grupo não descarta, até mesmo, tentar anular, via judicial, o contrato.

A empresa, que pertence ao Grupo Galvão, assumiu, por 30 anos, via concessão, os serviços de água e esgoto em fevereiro de 2012, na gestão do ex-prefeito Chico Galindo (PTB), substituindo a antiga Sanecap (Companhia de Saneamento da Capital).

 

"É uma situação muito grave, porque a CAB Ambiental está prejudicando Cuiabá e travando o seu desenvolvimento"


Na solenidade em que assinou o contrato com a prefeitura, a direção da CAB repassou às mãos de Galindo um cheque de R$ 35 milhões. E prometeu “universalizar o acesso à água tratada para 100% da população cuiabana até 2015, nas 24 horas do dia”. 

A empresa também prometeu 100% da coleta e tratamento de esgoto doméstico para 2022 – por meio de investimentos da ordem de R$ 900 milhões, sendo que R$ 315 milhões seriam aplicados nos cinco primeiros anos de operação.

Segundo dois empresários ouvidos pela reportagem, no entanto, além de não cumprirem com os serviços públicos prometidos, a CAB estaria “travando” a análise para novos empreendimentos - e se negando a realizar os investimentos para garantir o crescimento de Cuiabá.

“É uma situação muito grave, porque a CAB Ambiental está prejudicando Cuiabá e travando o seu desenvolvimento”, afirmou um dos empresários, que pediu para não ser identificado, por enquanto.

R$ 25 milhões

Ele relatou à reportagem que, o primeiro passo para um novo empreendimento, é a obtenção de um parecer, junto à CAB, sobre viabilidade de água e esgoto na região. 

“Isso está levando mais de um ano de espera, independente da viabilidade ou não. Além disso, se um empreendimento possui um projeto que foi aprovado pela Sanecap, cumprindo todos os quesitos legais, a CAB simplesmente o ignora”, relatou o empresário.

Outro empreendedor relatou ao MidiaNews que a CAB se “recusa a investir” em Cuiabá, ampliando os serviços de água e esgoto, e pede para que os empresários assumam os custos.

“A CAB simplesmente diz que não tem orçamento, capacidade de investimento, e pede para que nós rateemos os custos. Vários empresários que querem investir na região leste de Cuiabá procuraram a CAB que, sem cerimônia, disse que era para nós bancarmos R$ 25 milhões de custos para ampliar a rede de esgoto e água”, relatou

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade