JBS FRIBOI
05.08.2014

Dono do maior rebanho bovino deste país – cerca de 200 milhões de cabeças, conforme o mais recente levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Mato Grosso não poderia estar de fora do ramo de operações da JBS-Friboi, uma das maiores indústrias de alimentos protéicos do mundo.

 

Depois de entrar com os gordos incentivos fiscais patrocinados pelo contribuinte matogrossense, a famigerada JBS Friboi deixou de frequentar as páginas de Economia e Agronegócio para ilustrar manchetes do noticiário policial.

 

Com exclusividade, a equipe de reportagem do jornal Centro-Oeste Popular, parceiro do Brasil Notícia, denunciou a existência de um “cemitério clandestino” na planta industrial da JBS Friboi, em Barra do Garças, onde foram criminosamente enterradas inúmeras carcaças e toneladas de vísceras, dejeto que deveria ter sido incinerado, conforme manda a legislação ambiental. 

 

Só que o processo de incineração demanda energia – e, consequentemente, custo – despesa embolsada ilegalmente no enterro do material orgânico, às margens do rio Araguaia, a contaminar toda aquela valiosa reserva hídrica.

 

A investigação jornalística municiou a promotoria de Saúde e Meio Ambiente de Barra do Garças, a qual - sob o comando do promotor Marcos Brandt Gabriel em operação conjunta com a Vigilância Sanitária (Anvisa), Polícia Técnica (Politec), Polícia Judiciária Civil (PJC) e Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso (Sema-MT) – constatou o crime ambiental.

 

A força tarefa percorreu locais onde se suspeitava que a empresa estaria enterrando carcaças de gado morto durante o transporte, bem como restos não aproveitáveis dos animais abatidos; em uma área rodeada por uma mata nativa, e longe de olhares curiosos, as autoridades ambientais, com a ajuda de máquinas pesadas de escavação, desenterraram restos de vários animais, comprovando a infração legal.

 

TUDO EM FAMÍLIA

 

Não foi apenas o mau cheiro das carcaças enterradas às margens do Araguaia que despertaram o faro dos sabujos em Mato Grosso.

 

Vale recordar que Wesley Mendonça – o “dono da boiada” JBS Friboi – é primo de sangue do Fernando Mendonça, empresário amigo e até financiador eleitoral do ex-procurador da República e atual senador, Pedro Taques (PDT-MT), candidato ao governo de Mato Grosso.

 

O Delegado Romeu Tuma Júnior – que, na condição de Secretário Nacional de Justiça e colaborador próximo à República de Gaaranhuns – aponta o tal matadouro como a “maior lavanderia da América Latina”.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade