LOTE DE PARACETAMOL é SUSPENSO APóS CONSUMIDOR ACHAR PARAFUSO NO LUGAR DO REMéDIO; ANVISA PROíBE OUTROS MEDICAMENTOS
20.08.2014

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a suspensão de lotes de seis medicamentos e de uma compressa de gaze. As resoluções estão no Diário Oficial desta quarta-feira, dia 20. Todos os lotes dos produtos suspensos serão recolhidos pelos laboratórios fabricantes. O caso mais grave atinge um lote do medicamento Paracetamol 500 mg, produzido pelo Laboratório Teuto, que foi suspenso após um consumidor denunciar ao Procon que havia um parafuso no lugar do comprimido em uma das embalagens. Alguns remédios estavam com cartelas de outros medicamentos dentro das suas caixas.

A agência informou que irá investigar as queixas técnicas e avaliar eventuais penalidades a serem aplicadas. As punições variam desde a advertência até o cancelamento da autorização de funcionamento da empresa ou do registro do produto. Estão previstas ainda a aplicação de multas, que vão de R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão.

No caso do Paracetamol, a medida afeta o o lote 1998101, com validade de novembro de 2015. Após a denúncia do consumidor que achou o parafuso, o Procon oficiou o laboratório, que iniciou o recolhimento voluntário do lote. Segundo a empresa, o produto foi distribuído em Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia. O remédio é indicado para redução de febre e alívio temporário de dores leves a moderadas. Os consumidores podem tirar dúvidas pelo SAC do laboratório, no telefone 0800-621-800.

Outras proibições

Cetoconazol

O lote 1048105, com validade em junho de 2015, do Cetoconazol 200mg, produzido pelo Laboratório Teuto, também foi suspenso. Conforme a bula, o medicamento é indicado para tratamento de infecções causadas por fungos ou leveduras.

A suspensão do lote do comprimido ocorreu após queixa de um consumidor ao SAC do laboratório. Na denúncia, o usuário informou que, ao abrir a embalagem, constatou a presença de uma cartela de outro medicamento, o Atenolol 100mg. Após a reclamação, o laboratório iniciou o recolhimento voluntário do lote, que foi distribuído em Goiás, Amazonas, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e São Paulo. As orientações também são dadas pelo telefone 0800-621-800.

Nistatina

Um creme vaginal também está na lista dos produtos suspensos. O lote 8910019, com validade em fevereiro de 2016, do medicamento Nistatina 25.000 UI/g, 60g, foi suspenso após reclamação de um consumidor junto ao SAC do Laboratório Teuto. O usuário relatou que, na cartonagem do medicamento havia outro produto, o neomicina+bacitracina.

Os lotes da nistatina, usada para tratamento de candidíase vaginal, foram distribuídos no Distrito Federal, Espirito Santo, Goiás, Minas Gerais e São Paulo. Os produtos serão recolhidos voluntariamente pelo fabricante. As orientações também são dadas pelo telefone 0800-621-800.

Atorvastatina Cálcica

A Anvisa também suspendeu o lote 6909006, com validade em outubro de 2015, do medicamento Atorvastatina Cálcica, produzido pelo Laboratório Teuto e com embalagens indicando concentrações de 10 e 20 mg. O medicamento é indicado para tratamento da hipercolesterolemia (ou aumento da quantidade de colesterol no sangue). Uma denúncia feita ao SAC do fabricante revelou que, dentro da embalagem do produto de concentração 20 mg, havia o produto de concentração 10 mg. O lote foi enviado ao Distrito Federal, Pará e Paraná.

Tabine (citarabina)

A agência determinou a suspensão de 13 lotes do medicamento Tabine (citarabina), da empresa Meizler. O produto é usado no tratamento de leucemias agudas não linfocíticas. A suspensão ocorreu após um teste detectar que poderia existir uma redução do prazo de validade indicado na embalagem do medicamento. A Meizler ainda vai identificar os locais de distribuição dos lotes e também será responsável por recolher os medicamentos. Mais informações são obtidas pelo SAC do laboratório, no telefone 0800-166-613.

Tamsulom (cloridrato de tansulosina)

O lote 86119 do medicamento Tamsulom (cloridrato de tansulosina), da empresa Zodiac Produtos Farmacêuticos, foi suspenso após comunicado de recolhimento voluntário do laboratório. A empresa identificou que, na embalagem interna desse lote, consta data de validade junho de 2015, quando, na realidade, o lote era válido apenas até junho deste ano.

De acordo com a bula, o remédio é indicado para o tratamento dos sintomas da hiperplasia prostática benigna. Mais informações podem ser obtidas por meio do SAC do laboratório, no telefone 0800-166-575.

Gaze

O lote 5954, com validade em setembro de 2018, da Compressa de Gaze Cirúrgica Neve Estéril, fabricado pela empresa Neve Indústria e Comércio de Produtos Cirúrgicos, foi suspenso. Um laudo de análise emitido pelo Instituto Adolfo Lutz identificou a presença de corpo estranho de coloração escura no interior da embalagem intacta. A empresa procederá ao recolhimento do produto

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade