AVIãO CAI E CANDIDATO A PRESIDENTE EDUARDO CAMPOS MORRE; VEJA REPERCUSSãO
13.08.2014

O ex-governador Eduardo Campos, candidato à Presidência da República, pelo PSB, morreu na queda de um avião, esta manhã em Santos (72 km de São Paulo). A aeronave caiu sobre residências e explodiu. Ninguém sobreviveu. Os corpos de todos os ocupantes ficaram dilacerados. Oficialmente a quantidade de vítimas está sendo apurada. O presidenciável estaria acompanhado de 4 pessoas, dentre eles fotógrafo e assessor de imprensa. Uma pessoa ficou ferida e ainda não está confirmado se era ocupante da aeronave ou morava em uma das casas atingidas. A prefeitura de Santos informou que seriam 7 mortos.  A Folha de São Paulo informa que a coordenadora de Comunicação do PSB, Vera Canfram, confirmou que Alexandre Severo (fotógrafo oficial da campanha), Marcelo Lira (cinegrafista), Pedro Valadares (Assessor pessoal do candidato) e Carlos Percol (assessor de imprensa) estavam no avião com Campos. O IML informou que outra vítima do acidente é Marcos Martins, que seria o piloto do avião. De acordo com a BAND, houve colisão entre avião e helicóptero, devido ao mau tempo. O jato que levava o presidenciável iria pousar, teve que arremeter quando teria ocorrido a colisão com o helicóptero. "Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave. A Aeronáutica já iniciou as investigações para apurar os fatores que possam ter contribuído para o acidente", diz a nota, assinada pelo brigadeiro do ar Pedro Luís Farcic, chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica. A aeronave é um Cessna 560XL, prefixo PR-AFA,  que decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao Aeroporto de Guarujá (SP). O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) disse que recebeu uma ligação de Marcio França, presidente do PSB de São Paulo, que esperava a chegada de Campos, informando que todos que estavam na aeronave morreram. De acordo com a assessoria da Rede, de Marina Silva, vice na chapa de Eduardo, ela não estava a bordo do voo.  "Vi o vulto do avião e ouvi o estrondo", disse consultor que estava perto do local do acidente. "Senti um deslocamento de ar e o estrondo veio na sequência. Em seguida já pude visualizar a fumaça no alto das casas”, contou Edu Longobardi, ao G1. A vendedora Claudia Alves, que trabalha em uma loja próxima, disse que o estrondo chegou a quebrar os vidros de alguns prédios. Repercussão O presidenciável tucano Aecio Neves cancelou a agenda de campanha em Natal, Rio Grande do Norte.  "É com imensa tristeza que recebi a notícia do acidente que vitimou o ex-governador e meu amigo Eduardo Campos. O Brasil perde um dos seus mais talentosos políticos, que sempre lutou com idealismo por aquilo em que acreditava. A perda é irreparável e incompreensível. Neste momento, minha família e eu nos unimos em oração à  família de Eduardo”, disse Aecio, em nota. A presidente Dilma (PT) decretou luto oficial de 3 dias e divulgou nota expondo que "O Brasil inteiro está de luto. Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro. Eduardo foi uma grande liderança política. Desde jovem, lutou o bom combate da política, como deputado federal, ministro e governador de Pernambuco, por duas vezes. Tivemos Eduardo e eu uma longa convivência no governo Lula, nas campanhas de 2006, 2010 e durante o meu governo. Estivemos juntos, pela última vez, no enterro do nosso querido Ariano Suassuna. Conversamos como amigos. Sempre tivemos claro que nossas eventuais divergências políticas sempre seriam menores que o respeito mútuo característico de nossa convivência. Foi um pai e marido exemplar. Nesse momento de dor profunda, meus sentimentos estão com Renata, companheira de toda uma vida, e com os seus amados filhos. Estou tristíssima. Minhas condolências aos familiares de todas as vítimas,

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade