ISRAEL E HAMAS CONCORDAM COM TRéGUA DURADOURA
26.08.2014

CAIRO — Israel e Hamas concordaram nesta terça-feira com uma proposta do Egito de cessar-fogo duradouro, mas sirenes de foguetes continuaram a soar no Sul do território israelense depois das 19h (locais), momento em que a trégua entraria em vigor. Pouco antes do anúncio do acordo por autoridades egípcias e palestinas, 15 projéteis foram disparados a partir da Faixa de Gaza contra Israel, segundo o Exército. A explosão de um morteiro em Eshkol, perto da fronteira, matou um israelense e deixou seis feridos, um deles em estado grave.

Gritos de "Deus é grande" eram transmitidos pelos altofalantes das mesquitas, enquanto pessoas celebravam nas ruas da Faixa de Gaza.

- Declaramos a vitória da resistência palestina, a vitória de gaza - anunciou o porta-voz do Hamas, Sami Abu Zuhri.

O acordo, no entanto, enfrenta a resistência de algumas autoridades israelenses, com os ministros Naftali Bennett, Avigdor Lieberman e Yitzhak Aharonovich manifestando sua oposição, antes mesmo que o governo de Benjamin Netanyahu se pronunciasse oficialmente.

FRONTEIRAS SERÃO ABERTAS PARA AJUDA

O Ministério de Relações Exteriores de Israel informou em comunicado que o país concordou em abrir as fronteiras de Gaza para liberar a entrada de ajuda humanitária e de materiais de construção no enclave palestino. Conversas sobre outras questões serão retomadas um mês após o início da nova trégua.

“Conversas indiretas entre as duas partes sobre outras questões serão retomadas em um mês a partir do cessar-fogo... marcado para começar às 13h (hora de Brasília)”, diz a nota.

PUBLICIDADE

Segundo uma fonte citada pelo jornal “Haaretz”, não havia necessidade de uma votação do gabinete israelense para a aprovação da proposta. O acordo imediato não incluiria algumas exigências do Hamas como a construção de um porto, de um aeroporto e a libertação de prisioneiros. Isso ficaria para uma segunda etapa. Em futuras negociações, os dois lados vão apresentar suas demandas, e Israel vai levantar a questão da desmilitarização de Gaza, segundo a fonte.

O cessar-fogo foi noticiado pela agência estatal de notícias egípcia Mena e confirmado oficialmente pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, cerca de uma hora depois de o negociador do grupo militante palestino Hamas, Moussa Abu Marzoul, antecipar que um acordo havia sido alcançado para acabar com o conflito que já durava 50 dias. O Ministério das Relações Exteriores no Cairo deve emitir um comunicado mais detalhado sobre os pontos da nova trégua, de acordo com duas autoridades egípcias.

O anúncio veio após o líder político do Hamas, Ismail Haniyeh, dizer que estava próximo a um entendimento diplomático que atendesse aos anseios do povo palestino. O conflito entre Israel e os grupos armados na Faixa de Gaza, que começou em 8 de julho, deixou mais de 2.130 mortos do lado palestino e 68 entre os israelenses.


COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade