EMPRESáRIOS AUTORIZARAM USO DE JATO POR CAMPOS, DIZ PRESIDENTE DO PSB
26.08.2014

O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, afirmou nesta terça-feira (26), por meio de nota oficial, que o uso da aeronave que transportava o ex-governador Eduardo Camposna campanha eleitoral deste ano, de prefixo PR-AFA, foi autorizado pelos empresários pernambucanos João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira. A primeira prestação de contas parcial da campanha do PSB não apontou as despesas com a locação do jato particular.

“A aeronave de prefixo PR-AFA, em cujo acidente faleceu seu presidente, Eduardo Henrique Aciolly Campos, nosso candidato à presidência da República, teve seu uso – de conhecimento público – autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira”, informou o partido.

 

Reportagem publicada no último domingo (24) pelo jornal “Folha de S.Paulo” afirmou que a Polícia Federal (PF) apuraria se aeronave que caiu com o ex-governador de Pernambuco foi comprada com dinheiro de caixa 2 de empresas ou do próprio PSB. Além disso, reportagem do jornal "O Globo"apontou suspeita de irregularidade na cessão da aeronave para a campanha eleitoral de Eduardo Campos.

No entanto, a PF divulgou nota nesta terça para informar que só investigará suposto uso de caixa 2 na compra do jato particular se houver solicitação ou autorização da Justiça Federal. Segundo o comunicado, a corporação abriu inquérito no último dia 13 apenas para apurar as causas do acidente aéreo que provocou a morte de Campos e de outras seis pessoas em Santos (SP).

De acordo com um registro na Agência Nacional de Avião Civil (Anac), a empresa AF Andrade Empreendimentos e Participações Ltda, de Ribeirão Preto (SP),havia comprado o jato que conduzia o presidenciável do PSB por um arrendamento operacional, que é um leasing, uma espécie de financiamento.

Após o desastre aéreo, a empresa AF Andrade enviou para a Anac um documento, informando que tinha repassado o avião para o usineiro pernambucano João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho – amigo de Campos – em maio deste ano,  período em que o jato passou a ser usado na campanha presidencial do PSB.

O mesmo documento explica que as empresas BR Par Participações e Bandeirantes Pneus, de Apolo Santana Vieira, se apresentaram para assumir o financiamento junto à Cessna, a fabricante da aeronave. Em nota, a Bandeirantes Pneus disse que teve interesse na compra do jato, mas que não realizou a operação.

Na nota divulgada nesta tarde, o PSB informou ainda que o recibo eleitoral sobre o uso da aeronave seria emitido após a campanha presidencial, uma vez que, segundo o partido, os custos só poderiam ser calculados, por “pressuposto óbvio”, após o período em razão das horas de voo que seriam utilizadas no decorrer da campanha

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade