IBGE DIVULGA DADOS INCOMPLETOS DE DESEMPREGO PELO TERCEIRO MêS
21.08.2014

Pelo terceiro mês seguido, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga os dados sobre o desemprego no país de forma incompleta, em consequência da greve de seus servidores, que durou 77 dias. O fim da paralisação foi decidido em 12 de agosto.

Foram apresentados apenas os dados completos das regiões metropolitanas de Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo no mês de julho. Ficaram de fora as regiões metropolitanas de Salvador e Porto Alegre. A divulgação das taxas desses dois locais foi reprogramada para o dia 25 de setembro, na mesma data em que serão divulgados os resultados da Pesquisa Mensal de Emprego para as seis regiões referentes ao mês de agosto.

A taxa de desemprego teve as maiores altas de junho para julho no Recife, passando de 6,2% para 6,6% no mês seguinte, e no Rio de Janeiro, onde o índice foi de 3,2% a 3,6%. Em Belo Horizonte, o desemprego cresceu de 3,9% para 4,1% e, em São Paulo, caiu de 5,1% para 4,9%.

“Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo tiveram a menor taxa para o mês de julho na série histórica [que começou em março de 2002]. Não foi o que aconteceu no Recife, a única exceção, porque o menor [resultado em] julho para essa região ocorreu em 2011”, explicou a técnica da Coordenação de Rendimento e Trabalho (Coren), Adriana Araújo Beringuy

Segundo o IBGE, a população desocupada, que são aquelas pessoas sem trabalho, mas que buscavam uma ocupação, foi considerada estável naquelas quatro regiões metropolitanas, em relação a junho. Já em comparação ao mesmo mês do ano passado, a população desocupada ficou estável no Recife e em Belo Horizonte, mas caiu no Rio de Janeiro (-26,4%) e em São Paulo (-17,5%).

“Você percebe, de fato, uma migração importante para a população não economicamente ativa, seja vindo da população desocupada ou população ocupada. O que tem mais acontecido é a redução da população desocupada. Cada vez mais têm entrado pessoas de 50 anos ou mais nas amostras [da população não economicamente ativa] e como a gente já colocou em outras situações, além dessas pessoas da parte mais velha da distribuição, a gente também percebe pessoas mais jovens”, afirmou.

Também houve estabilidade na população ocupada, com carteira assinada nas regiões em que os dados foram divulgados. Na comparação anual, o contingente também não variou na maioria dos locais, registrando queda apenas em Belo Horizonte.

Tiveram comportamento parecido os resultados dos números de empregados sem carteira assinada no setor privado. As quatro regiões mostraram estabilidade na comparação mensal e na anual, o indicador recuou 19,4% em São Paulo.

Salário
No Recife, o salário dos trabalhadores ficou em R$ 1.513,10. Em relação a junho, subiu 1,2%, e frente a julho de 2013, 5%; em Belo Horizonte, chegou a R$ 1.898,70, mostrando estabilidade no mês e queda de 2,1% no ano.

No Rio de Janeiro, foi registrado o maior valor entre os locais pesquisados, R$ 2.285,60 – o aumento foi de 0,7% de junho para julho e de 8,9% frente a julho do ano passado. Em São Paulo, o rendimento mensal ficou em R$ 2.102,70, recuando 0,5% na comparação com junho, e subindo 1,6% frente ao mesmo mês de 2013.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade