ABSOLVIDO, MAGGI DEVE REPRESENTAR CONTRA PROCURADOR DE JUSTIÇA
02.05.2014

O senador Blairo Maggi foi inocentado na Justiça Federal

O senador Blairo Maggi (PR) informou que não descarta a possibilidade de ingressar com representação no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra o procurador de Justiça, Siger Tutiya, autor de uma ação civil pública que atribuiu exclusivamente ao republicano a responsabilidade pelo superfaturamento de R$ 44 milhões na aquisição de máquinas e caminhões pelo governo do Estado em 2010, no programa MT 100% Equipado.

“O único caminho que o cidadão tem quando se sente prejudicado é recorrer ao Conselho Nacional do Ministério Público. É uma possibilidade que estou avaliando. Ainda não descarto”, disse.

No despacho da juíza Célia Regina Vidotti foi constatado que não havia nenhum fato novo, uma vez que, o processo já havia sido encerrado pela Justiça Federal. “Indefiro a petição inicial e, por conseguinte, julgo extinto o processo”, diz trecho da decisão.

A ação civil pública exigia o bloqueio dos bens na ordem de R$ 44 milhões e a inelegibilidade de Maggi pelo período de 8 anos.

Maggi ressaltou que a própria magistrada citou como “estranha” a ação civil pública e, em sua visão, decidiu classificá-la de descabida. “Essa ação ficou 4 anos no Ministério Público e 2 anos na mão do procurador de Justiça. Pedi em três ocasiões para ser ouvido e em nenhuma vez fui atendido”, ressalta.

Questionado se observava algum cunho político na propositura da ação civil pública, Maggi preferiu não citar ninguém nominalmente, mas deixou claro que observa a conotação política.

“Talvez as pessoas com o cunho de querer ajudar alguém acabam atrapalhando”, comentou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade