EM SABATINA DO GLOBO, DILMA AFIRMA QUE Há CORRUPTOS EM TODOS OS PARTIDOS
12.09.2014

RIO — A presidente Dilma Rousseff (PT), que fechou nesta sexta-feira a série de sabatinas do GLOBO com os presidenciáveis, criticou sua principal adversária, Marina Silva (PSB), e se defendeu das denúncias de desvio de recursos da Petrobras. Ao falar sobre as alianças partidárias costuradas em seu governo, afirmou que "em todos os partidos tem gente corrupta e gente que não é corrupta". E defendeu que a democracia "não pode prescindir de partidos":

 

- Eu não acho que a democracia possa prescindir de partidos. Toda vez que isso aconteceu, nós caímos na mais negra ditadura. Ou tem alguém muito poderoso por trás disso - declarou. - Em todos os partidos, tem gente corrupta e gente que não é corrupta. Tem partidos que tem compromissos históricos. O meu partido, o PT, tem uma história de luta, de militâncias. O PMDB é um partido que lutou pela redemocratização. Eu sou da época em que ia-se para a cadeia.

Em referência à candidata do PSB, Dilma disse que quem "chega no governo e acha que não tem que negociar, está no mau caminho".

- No governo, você tem que fazer suas coisas: uma coisa é propor e a outra é negociar. Se você acha que chega no governo e não tem que negociar, você tá no mau caminho. Para ser presidente, tem que ter coluna vertebral. Errar, você erra 24 horas por dia - disse Dilma, quando perguntada sobre arrependimentos em seu mandato, em que apontou a falta de especialistas na área da Saúde e ausência de uma reforma no Ensino Médio.

PETROBRAS

Durante a sabatina, a candidata comentou as denúncias de corrupção na Petrobras e disse que pediu a descontinuidade do ex-diretor Paulo Roberto Costa, investigado por operar um esquema de desvio de recursos da estatal, porque "não tinha afinidade com ele".

- Há corrupção em todas as empresas públicas ou privadas. A Petrobras tem órgãos internos e externos de controle. Mas quem descobriu foi a Polícia Federal. Se eu tivesse sabido qualquer coisa sobre o Paulo Roberto, ele seria demitido e investigado. Eu tirei o Paulo Roberto com 1 ano e 4 meses de governo. Eu não sabia o que ele estava fazendo. Eu tirei, porque não tinha afinidade nenhuma com ele.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade