FAGUNDES CRITICA SALLES POR RECEBER APOSENTADORIA VITALíCIA
15.09.2014

Candidato ao Senado, Wellington Fagundes (PR) questionou o fato de seu adversário Rogério Salles (PSDB) receber pensão vitalícia após ter ocupado o cargo de governador de Mato Grosso por oito meses. 

Em 2002, Salles era vice de Dante de Oliveira, e assumiu após renúncia deste, para disputar uma vaga ao Senado.

“Não tenho aposentadoria, mesmo tendo 23 anos de mandato. Pelo que sei, ele foi governador por oito meses e tem aposentadoria. Isso é ético?”, questionou.

De acordo com dados da Secretária de Estado de Administração (SAD), Salles recebe R$ 15.083,79 por mês. 

"Não tenho aposentadoria, mesmo tendo 23 anos de mandato. Pelo que sei, ele foi governador por oito meses e tem aposentadoria. Isso é ético?"


Entre outros ex-governadores que aparecem na lista da SAD estão os deputados federais Júlio Campos (DEM), com pensão de R$ 24.117,64; e Carlos Bezerra (PMDB), com pensão de R$ 11.597,08; o senador Jayme Campos (DEM), no valor de R$11.597,08.

O ex-governador Blairo Maggi, que ocupou dois mandatos, abriu mão de receber a pensão.

“Eu não tenho aposentadoria, não respondo a nenhum processo, todas as minhas contas de campanha foram aprovadas sem ressalva. Então, qualquer questionamento que for feito pelo adversário, tenho obrigação de responder publicamente. E quando você fala a verdade, é bom... Quando o candidato começa a mostrar contradições, ele passa a ter que dar explicações”, disse Fagundes.

O deputado afirmou, ainda, que Salles está se perdendo em meio a contradições ditas à imprensa. Como exemplo, ele citou o caso da venda da Cemat.

“Ele tem muitas contradições, como no caso da venda das ações da Cemat. Primeiro disse que não assinou, depois foi provado no cartório que ele assinou, ele justificou dizendo que não sabia o que assinou. Mas como que um governador vende um patrimônio público e fala que não sabia o que assinou?”, questionou.

“Isso não pode, um homem público que é revestido de uma alta responsabilidade. Aliás, esse talvez seja o problema. Ele sempre foi vice, talvez não tivesse consciência do que era o cargo”, afirmou.

Bosaipo

Em 2011, o Tribunal de Justiça do Estado chegou a suspender a pensão vitalícia que Humberto Melo Bosaipo recebia por ter assumido o governo do Estado por apenas dez dias, em 2002. 

Á época, ele presidia a Assembleia Legislativa e ocupou o cargo durante uma viagem oficial de Salles.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade