POLíCIA ESTENDE BUSCA POR AVIãO E PILOTOS EM OUTROS PAíSES
03.10.2014

Sem pistas em Mato Grosso e na Bolívia, a Polícia Judiciária Civil de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste de Cuiabá) decidiu pedir o apoio de outros dois países da América do Sul, na busca por pistas que levem ao piloto e copiloto do avião da candidata ao Governo pelo PSD, Janete Riva, roubado no dia 20 de agosto passado. 

O avião, modelo King Air, foi roubado do aeroporto municipal e os criminosos levaram o piloto Evandro Rodrigues e o copiloto Rodrigo Agnelli como reféns. 

Desde então, a aeronave não foi rastreada e nem os pilotos mantiveram contato. 

O delegado Gilson Silveira, titular da delegacia de Pontes e Lacerda, disse ao MidiaNews que várias suspeitas foram levantadas nesse período - entre elas, a de que a aeronave pode estar em outros países.

“Nós acionamos, sim, a Polícia de dois outros países da América do Sul, mas não podemos revelar quais, por conta do sigilo das informações. A nossa busca é pela vida dos pilotos, assim como encontrar esses sequestradores. Por isso, todo tipo de ajuda é bem-vinda”, disse o delegado. 

Além da Bolívia, segundo as informações, dois outros países sul-americanos são considerados "bases" para ações do narcotráfico: Venezuela e Colômbia.

O delegado também confia que ainda vai encontrar os pilotos com vida. Ele lembrou que, para pilotar uma aeronave desse tipo, é necessário um piloto de gabarito. 

“Essa aeronave é considerada de médio porte. É muito difícil de ser pilotada e precisa de alguém com experiência para manuseá-la. Por isso, acredito que os pilotos estejam vivos. Agora, é questão de tempo, estamos todos empenhados”, afirmou.

Gilson Silveira também confirmou a formação de uma parceria entre as polícias de Mato Grosso e da Bolívia, para tentar encontrar o King Air.

Segundo Silveira, foi formada uma "rede de informações" entre as polícias, com o objetivo de coletar informações que levem ao paradeiro da aeronave e do piloto e do copiloto.

Caso semelhante


Em 2013, o piloto Paulo César Asoia Bertocini, de 30 anos, desapareceu da cidade de Juína (735 km a Noroeste de Cuiabá) e foi encontrado na Bolívia, alguns dias após ter sido sequestrado. 

A aeronave, estimada em R$ 1,5 milhão, não foi encontrada, mas o piloto estava bem e apenas confirmou que narcotraficantes o teriam forçado a levar o avião para o país vizinho. 

Com base nisso, o delegado Gilson Silveira espera encontrar em breve os pilotos desaparecidos.

“O modus operandi dessa quadrilha se parece muito com o caso ocorrido em Juína, em 2013", observou o delegado.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade