LAUDO CONFIRMA CURTO-CIRCUITO E FALHA DA INSTALAçãO COMO CAUSA DE INCêNDIO NO SUNSET BOULEVARD
31.10.2014

Laudo preliminar, obtido pela reportagem do Olhar Direto, apontou que o incêndio que atingiu o Edifício Sunset Boulevard, localizado no bairro Araés, em Cuiabá, no último dia 14, foi causado por um curto-circuito. A vistoria apontou também que a ocorrência tem elementos que a relacionam a manutenção realizada pela construtora Plaenge dois meses antes do fato. Os danos no condomínio foram extensos. O laudo é da Proseg Engenharia. 

Veja mais:
Sunset Boulevard: Laudo de perícia sobre causas do acidente pode demorar até 45 dias
Plaenge se comprometeu a arrumar área comum do Sunset Boulevard, diz morador

 
Foi apontado também que a falha foi própria da instalação e não tem relação com fatores externos, sobrecarga ou por algum curto-circuito com origem em algum apartamento. Os danos apareceram de forma mais concentrada nas caixas de passagem do 7º e 10º andares, indicando “um curto fase terra por contato elétrico entre cabos das prumadas com bordas das caixas”, sendo assim, ficou constatado o curto-circuito.
 
O perito detectou danos generalizados nas prumadas dos apartamentos, caracterizando a sua perda total, desde a origem das caixas dos medidores no térreo até a entrada dos apartamentos. Ainda há a possibilidade de danos em alguns dos quadros de entrada das residências, o que seria em torno de 10% do total, por conta da queima de cabos e eletrodutos.
 
“Outros aspectos construtivos relevantes estão associados ao sistema de fixação dos cabos, com amarração em arame entre si e as pontas de ferro presas na alvenaria e em parte inseridos em eletrodutos tipo mangueira plástica de cor marrom, que apresentam uma característica termoplástica, com intenso derretimento de calor”, revela trecho do laudo.
 
Em posse destas informações, o perito afirmou que a ocorrência tem elementos que a relacionam a manutenção realizada pela construtora Plaenge dois meses antes do fato. Os danos atingiram as prumadas dos apartamentos, elevadores, sistema de incêndio, luz piloto, telefonia e CFTV. Por conta disto, possivelmente, será necessária a substituição de parte dos cabos de alimentação de cargas do condomínio no Térreo.
 
Também “há elementos de ressarcimento a ser pleiteado junto à construtora Plaenge. Na vistoria foi feita a liberação para a limpeza das instalação, retirada dos cabos, caixas e todos os materiais danificados, visando a reposição das instalações”. Por fim, foi sugerido que os novos eletrodutos tenham uma maior suportabilidade a calor e mecanismo de fixação de cabos de prumada  que resguardem a isolação.
 
Como foi feito

A vistoria das instalações e danos foi realizada de forma visual pela Proseg Engenharia. O perito percorreu a instalação completa, a partir do Quadro de Entrada, OGBTs do Condomínio, Caixas de Medição e de Proteção localizadas no térreo. Também foi vista toda a prumada, andar por andar, inclusive as nove caixas de passagem existentes nos seguintes andares: Térreo, 1º, 2º, 4º, 7º, 10º, 13º, 16º, 19º e 22º.
 
Os Quadros de Entrada dos apartamentos 1603, 1602, 1303, 1002 e 102, dos elevadores e das instalações vinculadas à bomba de pressurização da linha de hidrantes também foram analisados. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade