ADOLESCENTE QUE AJUDOU EM INCêNDIO QUE MATOU A PRóPRIA MãE é APREENDIDO
11.12.2014

O adolescente de 17 anos, envolvido no incêndio criminoso que matou três pessoas no Jardim Columbia, em Campo Grande, foi apreendido nesta quarta-feira (10). Ele foi localizado por uma equipe da Deaij (Delegacia Especializada em Atendimento à Infância e Juventude), realizando trabalho de jardinagem em uma casa do Bairro Mata do Jacinto.

O incêndio aconteceu no dia 13 de outubro e provocou a morte de Lucinda Ferreira Torres, de 41 anos, a mãe do adolescente, Hélio Queiroz Neres, de 37 anos, e Daniel Candia, de 38 anos. As chamas teriam sido provocadas pelo adolescente e por Adriano Ribeiro Espinosa, de 27 anos, que estava com ciúmes da ex-namorada, Edna Rodrigues de Souza.

Conforme o delegado responsável pelas investigações, Maercio Alves Barboza, por meio de investigações a polícia conseguiu descobrir que ele estava na casa da namorada no Jardim Columbia. Eles foram lá e o garoto não foi localizado, mas foi descoberto que ele estava na Mata do Jacinto, onde foi abordado.  Na casa onde ele estava, foram apreendidos facões.

O adolescente contou a polícia que Adriano o chamou para ir até a casa onde estavam as vítimas e era realizada uma festa. Eles olharam por uma porta de ferro, que estava sem vidro, e viram Edna e Daniel praticando ato sexual. Com raiva da ex, Adriano quis bater no casal, mas arquitetou o plano, pedindo para que o adolescente comprasse álcool em um posto de combustíveis e atearam fogo na casa. O garoto disse que não sabia que a mãe também estava na mesma casa, em outro cômodo, junto com Hélio.

O adolescente afirmou ao Jornal Midiamax que Adriano não falou que a mãe dele estava na casa e que só descobriu a morte dela quando chegou em casa. “Acredito que realmente ele não sabia”, diz o delegado.

‘Filho problema’

Além de ter ajudado a provocar o incêndio que causou a morte da mãe, o adolescente teria causado a prisão do pai. O pai do garoto cumpre pena no Presídio de Segurança Máxima por tráfico de drogas e segundo o delegado, na casa onde eles moravam foram encontrados 200 quilos de maconha. A droga seria do adolescente, que fugiu, deixando a responsabilidade para o pai.

Foi pedida a internação do adolescente e ele foi responsabilizado por ato infracional análogo ao crime de homicídio qualificado por uso de fogo ou explosivo. Ele poderá ficar internado até completar 21 anos.

Incêndio

O incêndio aconteceu na noite de 13 de outubro. A primeira vítima, Lucinda, morreu asfixiada pela fumaça e teve várias queimaduras pelo corpo. A segunda vítima, Hélio Queiroz Neres, de 37 anos morreu na tarde do dia seguinte. Já no dia 5 de novembro, morreu Daniel Candia, de 38 anos. A última vítima, Edna, ficou internada e teve alta médica.

Vizinhos disseram que Edna e o marido, identificado apenas como Adriano, tiveram uma briga em via pública, antes do imóvel ser incendiado. A filha da vítima contou que Adriano teria passado pelo local e feito ameaças, dizendo que compraria gasolina e atearia fogo no local.

Lucinda não mora no imóvel, mas estava na casa em uma visita a Edna, que havia discutido com o marido. No imóvel, além do casal, moravam mais dois homens, entre eles, a vítima que morreu na Santa Casa.

 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade