DELEGACIA VIRTUAL COMEçOU A FUNCIONAR ONTEM
01.05.2014

Desde as 18h de ontem (30), motoristas e proprietários de veículos envolvidos em acidentes de trânsito sem vítimas já podem registrar o fato pela internet, sem precisar comparecer à delegacia ou aguardar a chegada da Polícia Militar para a elaboração do boletim de ocorrência. O novo serviço, lançado pelo Governo do Estado, por meio da Polícia Civil, integra o sistema da Delegacia Virtual, que, até o final do ano, permitirá o registro on line de mais cinco tipos de ocorrência.
De acordo com o governador Alberto Pinto Coelho, esse projeto inovador proporcionará a diminuição do número de registros presenciais feitos nas delegacias e nos postos de atendimento da Polícia Militar, reduzindo, consequentemente, o tempo de espera das demais ocorrências nas unidades policiais. “O objetivo da Delegacia Virtual é garantir ao cidadão mais agilidade e comodidade no registro das ocorrências que não configurem crime violento. De um lado, facilitamos e agilizamos os registros de casos sem violência e, de outro, liberamos mais policiais para o policiamento ostensivo, no caso da Polícia Militar, e para a investigação, no caso da Polícia Civil”, afirmou o governador.
Já o chefe da Polícia Civil, delegado Oliveira Santiago Maciel, se baseou nas estatísticas para destacar a importância Delegacia Virtual. “Em 2013, foram mais de 187 mil registros de acidentes de trânsito sem vítima em todo o Estado de Minas Gerais. Imagine que agora pelo menos 187 mil pessoas não precisarão mais ir a uma delegacia ou acionar a PM por esse motivo. É a prestação de serviço voltada para o cidadão e significa mais policiais civis e militares liberados para fazer segurança pública”, alegou.

Investimento - Com investimento de, aproximadamente, R$ 2 milhões, a Delegacia Virtual possibilitará à pessoa envolvida em um acidente de trânsito sem vítimas e com o máximo de cinco veículos fazer o registro do mesmo local da ocorrência, utilizando tablet ou celular, ou de casa, pelo computador. O mesmo vai ocorrer quando o sistema estiver disponível para registro de outras modalidades de ocorrências. “No caso de acidente sem vítima, essa agilidade é importante também para acionamento do seguro, quando for o caso”, lembrou a superintendente-adjunta de Informações e Inteligência Policial, Yukari Miyata, uma das responsáveis pelo projeto.
Para evitar fraudes e registros indevidos, a Polícia Civil cuidou também de elaborar um formulário que exigirá preenchimentos de dados pessoais dos reclamantes. “Ludibriar a administração pública ou fazer falso registro de fatos são crimes e os envolvidos poderão responder judicialmente por isso”, advertiu Yukari Miyata. Ela observa também que, como qualquer novo projeto, a Delegacia Virtual precisará de um tempo de adaptação, tanto para a polícia quanto para o cidadão. “Por isso, eventuais dificuldades iniciais poderão ocorrer e elas serão consideradas para o aprimoramento do serviço”, antecipou.
 
Como funciona - Com acesso por meio do endereço delegaciavirtual.sids.mg.gov.br (sem www), a Delegacia Virtual tem links de atalho também nos sites do Detran (www.detran.mg.gov.br) e da Polícia Civil de Minas Gerais (www.policiacivil.mg.gov.br).
O registro de ocorrências na Delegacia Virtual é feito por meio do preenchimento de formulários que são apresentados, gradativamente, na tela. Após o envio dos dados ao sistema, a ocorrência passa por uma triagem. Em até quinze minutos, é emitida uma mensagem, informando o número do Registro de Evento de Defesa Social (Reds), bem como a forma de acessá-lo no site do Sistema Integrado de Defesa Social (Sids), para imprimi-lo. O documento pode ser usado para fins de acionamento da seguradora, comprovação de extravio de documentos e outros.
Uma equipe de 16 policiais/ analistas trabalha em esquema de plantão, na sede da Superintendência de Informações e Inteligência Policial (SIIP), atuando 24 horas na triagem dos registros recebidos e também para tirar dúvidas dos cidadãos pelo telefone, que está divulgado na tela.
 
Reforço na segurança - Os benefícios da Delegacia Virtual não se limitam à população. O Estado também ganhará com a iniciativa. Além de combater a subnotificação de registros, haverá economia de insumos, energia e materiais utilizados nas delegacias quando o registro é feito pessoalmente.
A superintendente-adjunta Yukari Miyata destaca que os procedimentos da Delegacia Virtual vão liberar policiais militares para policiamento ostensivo e os civis para produção de inquéritos, investigação e atendimento de registros de maior urgência.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade