JUSTIçA BLOQUEIA R$ 93 MILHõES DE INVESTIGADOS PELA POLíCIA FEDERAL
21.11.2014

A pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal de Mato Grosso já decretou o bloqueio de bens na ordem de R$ 93 milhões de réus envolvidos na Operação Ararath, deflagrada pela Polícia Federal. Todos os bloqueios foram decretados pelo juiz federal Jeferson Scheneider, que está de férias e retorna as atividades apenas em janeiro de 2015.

O valor ainda é considerado irrisório para ressarcimento aos cofres públicos. Investigações iniciais da PF identificaram uma movimentação ilegal de meio bilhão reais nas contas dos investigados nos últimos seis anos.

Há ainda outros 11 inquéritos abertos na Polícia Federal que após conclusos deverão se tornar em denúncias formuladas pelo MPF e encaminhadas a Justiça Federal, o que deve aumentar ainda mais o valor de patrimônio bloqueado dos envolvidos. 

Todos respondem a ação penal na Justiça Federal por crimes que variam desde lavagem de dinheiro, ocultação de bens, peculato (apropriação indevida do dinheiro público), corrupção ativa, corrupção passiva e falsidade ideológica.

A maior quantia bloqueada é referente ao processo criminal em que são réus o ex-secretário de Estado, Eder Moraes e o ex-sócio da Encomind Engenharia, Comércio e Indústria, Rodolfo Aurélio Borges de Campos. Houve bloqueio de R$ 61,059 milhões. 

Conforme o MPF, o empresário Rodolfo Campos e o ex-secretário Eder Moraes articularam o pagamento superfaturado em mais de R$ 61 milhões de uma dívida do Governo do Estado com a construtora Encomind. 

Para os procuradores da República, para autorizar pela via administrativa o pagamento de um precatório, Éder de Moraes, que na época era secretário de Estado de Fazenda, e o grupo político ao qual ele estava ligado, receberam R$ 11,9 milhões de propina.

O esquema foi montado para atender interesses de Éder Moraes e de pessoas do alto escalão do Estado, autoridades detentoras de foro por prerrogativa de função que estão sendo investigadas pelo Supremo Tribunal Federal 

Conforme apurado pela reportagem do FOLHAMAX, houve bloqueio de R$ 15 milhões em ação penal na qual são réus o ex-secretário de Estado, Eder Moraes, sua esposa Laura Tereza da Costa Dias e o Superintendente do Bicbanco, Luiz Carlos Cuzziol.  Outros R$ 520 mil foram bloqueados em outro processo do qual são réus Éder Moraes e o ex-secretário adjunto do Tesouro de Mato Grosso, Vivaldo Lopes. 

Em um processo do qual são réus Eder Moraes por suspeita de corrupção passiva e os advogados Kleber Tocantins e Alex Tocantins por lavagem de dinheiro e corrupção ativa, houve bloqueio de R$ 5,250 milhões. 

O empresário José Sabóia que é réu sob acusação de lavagem de dinheiro, corrupção e peculato, em processo do qual também figura como parte Eder Moraes, sofreu bloqueio de R$ 11,228 milhões. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade