TAQUES IRá APRESENTAR RESULTADO DE AUDITORIA EM AUDIêNCIA PúBLICA
20.01.2015

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PDT) e o secretário extraordinário de Projetos Estratégicos, Gustavo Oliveira, irão apresentar os resultados das análises dos contratos da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) em audiência pública.

Segundo Taques, a reunião será aberta à sociedade e deve ocorrer entre fevereiro e março. A data e local ainda serão definidos.

"Queremos mostrar à sociedade o que aconteceu com as obras da Copa, o que deu certo e o que deu errado. As responsabilidades serão apuradas pelos órgãos competentes"

“Nós mostraremos todos os números, sobre todas as obras. Quanto foi pago, o que foi pago. Cabe ao governo mostrar a sociedade o que foi feito e o que está sendo feito e, isso, a nossa administração fará”, afirmou.

A análise dos contratos e do estágio de execução dos projetos permitirá, segundo Taques, que o Governo faça esclarecimentos sobre o cronograma e a estimativa de custos para o término das obras que era previstas para antes da Copa do Mundo, realizada em junho do ano passado.

“Queremos mostrar à sociedade o que aconteceu com as obras da Copa, o que deu certo e o que deu errado. As responsabilidades serão apuradas pelos órgãos competentes”, disse.

Com os resultados da auditoria, o secretário extraordinário deve planejar um novo cronograma físico-financeiro de todas as obras.

Além disso, segundo Gustavo Oliveira, sua pasta irá definir quais secretarias vão assumir as obras que eram de responsabilidade da Secopa. A grande maioria dos projeto deve ser incorporada à Secretaria de Cidades (Secid).

“Temos diversas empresas trabalhando nas auditorias. O Crea [Conselho Regional de Engenharia e Agronomia] está trabalhando conosco e nós pretendemos, até a audiência pública, divulgar um primeiro relatório do estado dessas obras”, disse ele.

VLT

Entre as obras auditadas da Secopa está a do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT).

Como adiantou o MidiaNews, na quinta-feira (15), as obras estão paralisadas desde dezembro a pedido do Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, formado pela empresas CR Almeida, Santa Bárbara, CAF Brasil, Magna e Astep.

Isso porque a gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) não fazia os repasses de dinheiro há mais de 90 dias.

No entanto, o Consórcio afirmou que não irá abandonar as obras.

“O VLT é prioridade de campanha do governador. E estamos fazendo uma auditoria em toda a obra. Estamos auditando os contratos para determinar quanto temos de restos a pagar do ano anterior, quanto vamos ter a pagar neste ano. Os cronogramas físico e financeiro irão determinar qual o desembolso para este e para os próximos anos”, disse Gustavo Oliveira

 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade