PIVETTA DIZ QUE ZECA VIANA FOI "INFELIZ" E "EXAGEROU NA DOSE"
04.02.2015

O prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), criticou as declarações do deputado estadual Zeca Viana (PDT) contra o governador Pedro Taques (PDT).

Zeca, que é presidente regional do PDT e um dos parlamentares mais próximos a Taques, criticou a postura do governador, que, segundo ele, articulou de forma “esdrúxula” a formação da chapa para concorrer à Mesa Diretora.

Para Pivetta, o deputado saiu “desgastado” do processo e "mais perdeu que ganhou".

"Ele foi infeliz em se reportar à imprensa, poderia ter dividido apenas com alguns amigos. Então, acho que ele perdeu com isso e saiu menor do que entrou"


“Acho que o Zeca está exagerando na dose. Ele tinha legitimidade para querer ser presidente da Assembleia. O governador não apoiou, porque o Zeca não se manifestou no tempo certo. Ele foi infeliz em se reportar à imprensa. Poderia ter dividido apenas com alguns amigos. Então, acho que ele perdeu com isso e saiu menor do que entrou”, afirmou.

Além disso, para Pivetta, o governador não trocou cargos no Interior do Estado por votos na disputa pelo comando da Mesa Diretora, que elegeu o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) como presidente.

“Não tem denúncia nenhuma. É legitimo o governo nomear as pessoas que julgar conveniente. O governador vai ter 3 mil cargos de confiança e serão pessoas de sua confiança. Ele é que sabe quem deve nomear. Isso não é para o deputado Zeca, nem para mim, é para o governador”, disse.

“Mas sou contra dar cargo para partido político, nós não temos que pegar cotar partidária nenhuma. O governador tem que ter liberdade para escolher a equipe responsável pelo governo, escolher quem ele quiser”, afirmou.

“Afogados”

"Acho que faltou pensar um pouco e falar menos. Não conheço as conversas que antecederam esse desarranjo, essa desinteligência. E lamento muito"

Para Pivetta, o líder do PDT foi motivado por deputados da oposição a se colocar contra a chapa de Maluf. Ele classificou os parlamentares como “afogados do sistema”.

“Não sei qual foi a reviravolta que transformou ele nessa ‘fera‘. Mas, no tempo que ele poderia ter se manifestado, não o fez. E, agora, no final, os afogados do sistema, que achavam que iam continuar, tentaram se agarrar nele e acabou criando esse impasse. Mas isso é coisa que passa”, disse.

“Mas o Zeca fez toda aquela polêmica, e no final disse que era amigo, que iria apoiar. Acho que faltou pensar um pouco e falar menos. Não conheço as conversas que antecederam esse desarranjo, essa desinteligência. E lamento muito”, afirmou.

Confinamento: afronta

O prefeito de Lucas do Rio Verde classificou ainda como afronta à sociedade o fato dos 17 deputados que apoiavam a chapa de Maluf à presidência da Assembleia terem sido “confinados”, em um resort no Lago de Manso, antes da votação do último domingo (1º).

“Essa questão de ir para Manso é coisa do passado. Eu achei uma atitude realmente condenável, é uma afronta à sociedade que precisa de UTI, de hospital público. Eu não participei de nenhuma negociação e não poderia acusar ninguém, porque teria que provar. Mas esse negócio é uma afronta”, afirmou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade