MANIFESTANTES INVADEM PLENáRIO, E VOTAçãO DE 'PACOTAçO' é SUSPENSA
10.02.2015

Servidores estaduais do Paraná protestam contra medidas do governo.Deputados haviam acabado de votar manobra para acelerar votação.

Manifestantes invadiramo Plenário da Assembleia do Paraná (Foto: Sabrina Coelho/G1)Manifestantes invadiram o Plenário da Assembleia do Paraná (Foto: Sabrina Coelho/G1)

O Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) foi invadido por servidores estaduais em greve durante a sessão desta terça-feira (10). No momento da invasão, os parlamentares haviam acabado de aprovar manobra regimental que permitiria que o “pacotaço” do governo estadualtramitasse em apenas um dia pela Casa. A sessão foi suspensa e os deputados se retiraram do Plenário.

Plenário foi tomado por manifestantes (Foto: Sabrina Coelho / G1)Plenário foi tomado por manifestantes
(Foto: Sabrina Coelho / G1)

Professores e funcionários estaduais fizeram fila para acompanhar a sessão na Alep. Segundo a Polícia Militar (PM), a manifestação do funcionalismo público reuniu mais de sete a dez mil pessoas no Centro Cívico. Um acordo entre o presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato)  definiu que alguns servidores seriam liberados para acompanhar a sessão.

Os servidores protestam contra um pacote de medidas do governo estadual que, entre outros itens, afeta a carreira dos professores. A categoria, inclusive, está em greve desde segunda-feira (9). Entre as exigências dos trabalhadores da Educação estão o pagamento de benefícios atrasados e a reabertura dos turnos fechados no fim de 2014.

Placa diz 'Beto caloteiro' (Foto: Sabrina Coelho / G1)Placa chama governador Beto Richa de caloteiro
(Foto: Sabrina Coelho / G1)

‘Pacotaço‘
Uma reunião entre o governo e 37 deputados estaduais foi realizada na noite de segunda-feira. Três itens do pacote de medidas, que propõe mudanças nos benefícios do funcionalismo público por meio de dois projetos de lei, foram alterados. Os benefícios  serão mantidos e o plano de carreira dos servidores da educação não será alterado. Também no acordo, o governo decidiu não suspender o quinquênio e anuênio, que assegura reajustes automáticos a todo o funcionalismo.

O auxílio transporte para servidores do magistério que estejam afastados do trabalho e o direito a licenças, cuja concessão caberá exclusivamente ao secretário estadual da Educação ou diretor-geral da pasta, também será mantido, assim como o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) para promoção e progressões.

O pacote de medidas do Governo do Paraná foi apresentado aos deputados estaduais em regime de urgência no dia 4 de fevereiro e visa equilibrar as finanças do estado. O “pacotaço”, como é chamado, faz parte da segunda etapa de um ajuste fiscal que começou em 2014, com o aumento da alíquota de impostos.

Servidores protestam contra 'tarifaço' (Foto: Sabrina Coelho / G1)Servidores protestaram contra a votação do ‘tarifaço‘ (Foto: Sabrina Coelho / G1)
COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade