“ESTOU ACOSTUMADO A ME PEGAREM PARA CRISTO”, AFIRMA RIVA SOBRE MATéRIA DO FANTáSTICO
20.02.2015

 

“Estou acostumado a me pegarem para Cristo”, afirma Riva sobre matéria do Fantástico
“Estou acostumado a me pegarem para Cristo”. A frase é do ex-deputado estadual José Riva (PSD), ao saber que foi apresentado em um vídeo de chamada para o Fantástico do próximo domingo (20) como pivô de um esquema fraudulento multimilionário. Para ele, a ação acontece em cima de uma “fantasia” de “dono de Mato Grosso e da Assembleia Legislativa”, criada sobre a imagem dele a partir de um complô.

Leia mais:
Ex-presidente da AL será alvo de reportagem do Fantástico sobre esquema de R$ 500 milhões

“Já nem falo mais que quero que quebre meu sigilo bancário, fiscal. Até porque já quebraram. Quero é que quebrem tudo, o sigilo da minha família toda, parentes e tudo mais. Quero que aprofundem essa investigação ao máximo. Aí vão descobrir que não é nada disso do pintam. Não vão reparar todos os danos, mas vão descobrir a verdade”, disse o ex-deputado, em entrevista ao Olhar Direto.

No vídeo chamada do Fantástico, são mostradas várias imagens de José Riva, entre elas de quando ele foi preso, em maio de 2014, durante uma das fases da Operação Ararath. Também é destacado o pagamento de R$ 140 milhões, feito pela Assembleia Legislativa, por apostilas nunca feitas. O depoimento de um homem não identificado explica que 25% do valor ficava para as gráficas e o restante para os políticos envolvidos no golpe.

José Riva ainda salientou que ficou afastado da presidência da Assembleia Legislativa nos últimos dois anos, tendo assumido por 30 dias ao final de seu mandato. De acordo com ele, foi justamente nesse período em que mais se consumiu material de gráfica na Casa de Leis. Ele também defendeu a legalidade de todos os processos licitatórios de quando esteve na Presidência.

“O melhor advogado é o tempo. O que posso dizer é que tudo seguiu todo o processo legal necessário. É muito interessante eu ser o foco sendo que fiquei afastado por dois anos”, argumentou. “A gente vê que é um complô. Resta ter fé em Deus, acreditar na justiça divina e na Justiça”, completou.
COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade