LADRõES ROUBAM ATé CEMITéRIOS DE CUIABá
23.02.2015

 

CUIABA-NEBLINA.jpg

 

Nem mesmo as cercas elétricas inibem a ação de ladrões nos cemitérios de Cuiabá. Em busca de objetos de valor comercial, principalmente placas de cobre, alumínio ou inox, os criminosos usam os mais diversos artifícios para atingir seus intentos. 

No cemitério municipal do bairro Boa Esperança/Coxipó, há pelos menos duas semanas a fiação da cerca está rompida. Os danos teriam sido causados por ladrões que tentaram invadir o local. 

A informação que se tem é que durante a noite alguns bandidos atiraram cadeiras e pedaços de pau até que conseguiram arrebentar os fios. Como não há serviço de vigilância humana no período noturno, a conclusão sobre a ação criminosa só pode ser feita com base nos restos de materiais encontrados na manhã seguinte dentro do cemitério. 

Em Cuiabá, três cemitérios tiveram seus muros elevados e receberam o reforço de cercas elétricas: da Piedade (centro), do Porto(Avenida Ipiranga) e do Boa Esperança/Coxipó. A medida, adotada há quase três anos, ainda chama a atenção e surpreende quem mora ou passa pelas vias próximas desses espaços reservados ao descanso dos mortos. 

Dona Luiza Maria de Jesus Pereira, moradora do Bairro Boa Esperança, diz que considerou absurdo, mas entendeu a necessidade de cerca elétrica. “É terrível pensar que vivemos em uma cidade onde até o cemitério precisa desse tipo de proteção”, desabafa. 

O filho dela, João Luiz Oliveira, 39, que mora no interior de São Paulo e está de férias em Cuiabá, vê a situação com um toque de comicidade. Oliveira satiriza: “Cerca elétrica? Parece piada. Ninguém que está lá dentro pode fugir e ninguém daqui de fora quer entrar, fazer morada lá. Certo?”. Em respeito aos mortos, se necessário for, diz Oliveira, essas e outras providências devem sim ser adotadas. 

Brincadeiras à parte, Gerson Alves da Costa Pereira, vendedor ambulante, diz que a primeira vez que percebeu a cerca elétrica sobre o muro do cemitério até parou para se certificar de que não havia se enganado. Ele diz que chegou a pensar que o muro era da empresa vizinha. 

Silvio Souza, diretor da Cuiabana Administração de Cemitérios, empresa responsável pela administração e segurança dos três cemitérios, garante que a eletrificação de fios sobre os muros praticamente zerou o número de furtos e roubos nesses cemitérios. 

No caso do Boa Esperança, Souza assegurou que nada foi levado na noite em que danificaram a cerca. E ainda, que os reparos estão sendo providenciados e deve acontecer nos próximos dias. 

Em Cuiabá, a polícia registrou 822 furtos a residências, comércios e outros estabelecimentos no primeiro mês deste ano. Em índice corresponde a 26,5 ao dia, pouco mais de 1 furto por hora. 

Mesmo considerado alto, ainda é menor que o mesmo período dos dois anos anteriores: 1001 em 2014 e 993 em 2013. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade