CONCLUSãO DO AEROPORTO MARECHAL RONDON DEPENDE DE DEVOLUçãO DE EXECUçãO DAS OBRAS PARA A INFRAERO
26.02.2015

Guilherme Maluf e Nilson Leitão com o ministro Eliseu Padilha, da Aviação Civil

Guilherme Maluf e Nilson Leitão com o ministro Eliseu Padilha, da Aviação Civil

A conclusão das obras de reforma e ampliação do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, depende da ‘devolução’ da execução hoje sob responsabilidade do governo de Mato Grosso para a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). A articulação foi encaminhada pelo ministro Eliseu Padilha, da Secretaria Nacional de Aviação Civil,  em reunião com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Guilherme Maluf (PSDB), e o deputado federal Nilson Leitão (PSDB), na tarde desta quarta-feira (25), em Brasília.

Maluf avaliou que a medida é o melhor caminho para concluir as obras do aeroporto, que se arrastam há anos, porque o aeroporto é considerado o segundo pior do país, de acordo com levantamento feito pela Infraero, em novembro do ano passado.
 
“O ministro nos comunicou que está pronto para retomar as obras, mas em um novo modelo. Porém, o governo do Estado teria que formalizar o pedido de transferência da obra para a Infraero gerenciar, como foi em todo o país. Quanto aos aeroportos regionais, terá que ser aguardada a licença ambiental e liberação do orçamento”, explicou ele.
 
A gestão anterior do governo do Estado assumiu, em 2011, a responsabilidade das obras de ampliação do aeroporto. A Engeglobal, uma das empreiteiras mais conceituadas de Mato Grosso e do Centro-Oeste, venceu a licitação e passou a executar as obras de reforma e ampliação do aeroporto.
 
A audiência foi solicitada pelo deputado federal Nilson Leitão (PSDB) e também foi acompanhada pelo deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM). Maluf lembrou que além do aeroporto Marechal Rondon, foi debatido também os problemas nos aeroportos do interior, como de Sinop, Tangará da Serra, Sorriso e Barra do Garças. “O de Sinop, por exemplo, é o segundo em número de vôos, mas que também está com problemas”, argumentou o presidente da Casa de Leis.
 
Nilson Leitão lembrou que em 2011, foi lançado pelo Governo Federal, o programa de ampliação de aeroportos regionais, mas que não saiu do papel.
“O que foi feito foi muita enganação, mentira, promessa vazia, lançaram esse programa e não tem nem licença ambiental, devido a isso, prefeituras deixaram de investir nos aeroportos nas regiões, o que ocasionou na piora do que tínhamos conquistado ao longo dos anos”, observou Maluf.

“Mato Grosso é continental, e quando você não tem estrutura aeroportuária para atender as demandas no Estado que é o maior produtor de grãos, carnes, Estado do agronegócio, que produz para todo o Brasil, você fica sem alternativas, e vem trazendo pobreza para o Estado quando não tem alternativa modal para investidor quando querem conhecer estado. Além da segurança que se proporciona quando se tem aeroporto com qualidade para fazer interligação com o Brasil e o mundo”, argumentou o presidente da Assembleia.
 
Por outro lado, Nilson Leitão lembra que em Sinop,  sua principal base eleitoral, foram perdidos três vôos comerciais com capacidade e viabilidade financeira por falta de estrutura do aeroporto.
 
Já Dilmar Dal Bosco lembrou da preocupação da Assembleia Legislativa com a melhoria nos aeroportos de Mato Grosso. “Que a Infraero assuma de vez a construção do aeroporto Marechal Rondon, que termine as obras, não deixe da maneira em que o governo estadual anterior deixou, um abandono, sem uma gestão séria. Esse é um novo momento para Mato Grosso, dando qualidade às pessoas que querem investir no Estado. Junto com o governador Pedro Taques (PDT), vamos achar o melhor caminho”.
 
COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade