CâMARA DE CUIABá APROVA MOçãO DE REPúDIO CONTRA AMAES; CONFRONTO ATINGE áPICE PERTO DE EXTINçãO DA AUTARQUIA
09.03.2015

O requerimento de Marcrean Santos pela ‘Moção de Repúdio’ foi assinado por 15 vereadores, na Câmara de Cuiabá

O requerimento de Marcrean Santos pela ‘Moção de Repúdio’ foi assinado por 15 vereadores, na Câmara de Cuiabá

Depois de mais de dois anos, a Câmara de Cuiabá finalmente reconheceu que a Agência Municipal de Água e Esgotamento Sanitário (Amaes) não cumpre sua obrigação legal e aprovou, por unanimidade, moção de repúdio contra a autarquia.  “É lamentável, mas a Amaes só está universalizando os hidrômetros, quebrando as calçadas e vem aumentando as contas de forma abusiva. Os consumidores estão recorrendo ao Procon”, lamentou o vereador Macrean Santos (PRTB), autor da proposta.

“Tendo em vista a inércia da atual gestão que está há mais de dois anos na diretoria da Agência Reguladora, pecando principalmente pela omissão dos diretores e o desrespeito ao direito do consumidor, propusemos a moção de repúdio”, argumentou o parlamentar do PRTB, para a reportagem do Olhar Direto.
 
O parlamentar  do PRTB destacou que a população cuiabana não aguenta mais aumentos abusivos na tarifa da CAB, com a complacência da Amaes. “Infelizmente, a CAB só está universalizando os hidrômetros, quebrando as calçadas e vem aumentando as contas de forma abusiva. Os consumidores estão recorrendo ao Procon”, detonou Marcrean,  que há poucos dias recebeu água do bairro Santa Rosa II, supostamente contaminada por esgoto.
 
“A Amaes se mantém inerte mesmo diante das milhares de reclamações e irregularidades na prestação de serviços pela CAB. É apenas uma agência figurativa e inútil ao interesse público”, emendou ele.
Também protestaram contra os serviços prestados pela CAB os vereadores  Dilemário Alencar (PTB), Wilson Nonato Kero Kero (SDD), Mário Nadaf (PV) e o líder do Executivo na Câmara, vereador Leonardo Oliveira (PTB), entre outros.  
 
Dentro de poucos dias, a Amaes deve ser extinta. Em seu lugar, a Câmara de Cuiabá deverá aprovar projeto de lei do Poder Executivo que cria  nova Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados da Capital (Arsec).
 
 “É certo que a Amaes não conseguiu fiscalizar o péssimo serviço nem exigir qualidade nos serviços prestados pela CAB Cuiabá, o que não ocorre na prática”, criticou Nadaf.
 
 A moção de repúdio foi assinada por 15 vereadores, incluindo Leonardo de Oliveira. Para justificar o requerimento e a moção de repúdio, Marcrean Santos  fez um levantamento em várias regiões de Cuiabá e identificou pelo menos 22 bairros sem água nos últimos dias.
 
Também foram levantadas várias reportagens veiculadas na imprensa recentemente, apontando que entre abril de 2012 quando a CAB assumiu os serviços de água e esgotamento sanitário em Cuiabá, e setembro de 2014, a concessionária liderou as reclamações no Procon.
 
Entre as centenas de queixas, 80% foram denunciando a falta de água nas torneiras dos cuiabanos. “O bairro Jardim União está há 30 dias sem água e adutora já quebrou 24 vezes. Que adutora que é essa, será que é de papel de isopor? Cadê o compromisso da empresa com a população, cadê a Amaes para fiscalizar a CAB? Ela está acobertando as irregularidades, a incompetência dessa empresa. Só aprova os aumentos em taxas e contas”, completou Macrean.  
 
COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade