PROFESSORES MARCAM GREVE PARA O FIM DO MêS E 23 MIL ALUNOS PODEM FICAR SEM AULA
10.03.2015

Professores marcam greve para o fim do mês e 23 mil alunos podem ficar sem aula

O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público do Estado de Mato Grosso (Sintep) - subsede Várzea Grande - marcou para o dia 31 de março a paralisação dos professores de Várzea Grande, caso não seja feita a atualização do piso de 2015. Os educadores pedem ainda que outros pontos sejam atendidos para melhorar o atendimento aos alunos, com isto, 23 mil alunos poderão ficar sem aulas a partir de abril.
 
“Tivemos uma assembleia geral na última sexta-feira (06) e decidimos marcar a paralisação para o dia 31 de março, caso as nossas solicitações não sejam atendidas. Houve uma sinalização do governo, porém, não estava de acordo com o que requisitamos. A revisão salarial foi cumprida apenas parcialmente. Ela ficou abaixo do piso nacional”, explica ao Olhar Direto o presidente do Sintep, Gilmar Soares Ferreira.
 
Os professores cobram a atualização do piso salarial de 2015 e outros pontos considerados de suma importância para a categoria: “Em Várzea Grande, a data base é o mês de maio e até agora não houve nada neste sentido. Além disto, existem outros pontos que também precisam ser cumpridos”, garante Gilmar.
 
“Nós tivemos uma diminuição do quadro de pessoal nas escolas, o que aumentou a violência e os assaltos nas unidades de ensino aqui em Várzea Grande. A expectativa é que pelo menos dois terços das escolas do município estejam envolvidos na paralisação. São 3.500 profissionais que atendem 23 mil alunos”, conta o presidente.
 
No ano passado, os professores fizeram três greves para garantir o piso mínimo nacional: “ainda temos a expectativa de que tudo seja resolvido rapidamente para que as crianças não sofram por conta do governo que parece não ligar para isto. Eles tem tempo para isto”, finaliza o presidente do Sintep.

Outro lado
 
A reportagem tentou contato com a Secretaria de Comunicação de Várzea Grande, porém, não obteve resposta sobre a paralisação dos professores. O Olhar Direto também entrou em contato com o secretário municipal de Educação, Silvio Fidelis, porém, ele estava em reunião e deve se posicionar ainda hoje.
COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade