ATé DEPUTADOS DA OPOSIçãO OCUPAM TRIBUNA DA ASSEMBLEIA PARA DEFENDER PAULO TAQUES; PALAVRõES SãO RETIRADOS DE ATA DA SESSãO
12.03.2015

Até deputados da oposição ocupam tribuna da Assembleia para defender Paulo Taques; palavrões são retirados de ata da sessão

Pelo menos nove deputados estaduais se revezaram na tribuna do Plenário das Deliberações Renê Barbour nas sessões desta quarta (11) e quinta-feira (12), para defender o secretário Paulo Zamar Taques, chefe da Casa Civil, de ataques desferidos pelo deputado Zeca Viana (PDT), inclusive com palavras de baixo calão, na sessão noturna da última terça-feira (10). Até mesmo parlamentares de oposição, como os deputados Wagner Ramos (PR) e Pedro Satélite (PSD), se mostraram indignados com os adjetivos utilizados pelo presidente regional do PDT para atacar Paulo Zamar, considerado um dos homens de confiança do governador José Pedro Taques (PDT).

A postura dos deputados deixa Zeca Viana praticamente isolado, no embate. Alguns já teriam sugerido até mesmo que o parlamentar do PDT tirasse licença (121 dias) para que pudesse espairecer e refletir.
 
“Tive a oportunidade de ser vereador e ser prefeito [de Jaciara]. Sei o que é ser xingado, numa casa de leis. Conheço Paulo taques há tempos e não há nada que desabone sua conduta”, afirmou o deputado Max Russi (PSB), na tribuna, na sessão desta quinta-feira.  
 
Presidente da sessão em que os ataques de Zeca Viana ocorreram, o deputado Wagner Ramos mandou que os palavrões fossem retirados do livro ata da sessão ordinária. “Me senti muito mal com o que aconteceu aqui... Brigas pessoais, particulares ou partidárias não podem acontecer aqui [na tribuna]. Conheci Paulo Taques e vejo-o como pessoa idônea, correta”, afiançou Ramos.
 
“Dizer que é vagabundo, eu não concordo. O deputado Zeca Viana está errado. Precisa haver um entendimento, para que volte a paz ou cada um toque a sua vida particular. Zeca se exaltou! Eu estava presidindo a sessão e pedi para retirar a palavra vagabundo da ata da sessão, para que não fique nos anais desta casa”, emendou Ramos.
  
O deputado Pedro Satélite citou que conhece Paulo Taques e que não soube de nenhuma  mácula em sua vida. “De forma inteligente, prudente e perspicaz não rebateu as críticas. É homem de bem e, por isso, o deputado Wanger agiu bem: isso  não poderia mesmo constar nos anais da Assembleia Legislativa, com tal vocabulário”, resumiu Satélite, que há mais de 20 anos exerce mandatos no Poder Legislativo..
 
Procurado pela reportagem do Olhar Direto, Paulo Taques afirmou que não iria se manifestar sobre o tema. Embora tenha sido ofendido, para ele, trata-se de “assunto encerrado”.
COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade