MAIS DE 30 MIL PROTESTAM EM CUIABá CONTRA GOVERNO DILMA; VEJA
16.03.2015

A Polícia Militar estimou que mais de 30 mil pessoas participaram dos protestos, neste domingo (15), em Cuiabá, contra a corrupção e o governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

Por outro lado, os organizadores do evento afirmam que cerca de 40 mil pessoas foram às ruas protestar.

Os atos ocorreram entre as praças Alencastro e 8 de abril. Os manifestantes percorreram toda a Avenida Getúlio Vargas.

Um dos motes do ato, que também ocorreu em pelo menos outros 23 Estados e no Distrito Federal, foi a corrupção no país, instabilidade econômica e o aumento da inflação, que atinge, inicialmente, os preços da gasolina e da energia elétrica.

O policiamento foi feio pela PM e pelos agentes de trânsito da Capital, conhecidos como “amarelinhos”.

Entre os manifestantes estavam o advogado Antônio Nunes, de 62 anos. Ele trouxe os três filhos para participarem, pela primeira vez, de um protesto.

“Estou aqui pedindo a reforma política do país e para mostrar que precisamos nos unir. O Brasil precisa de manifestações de combate a corrupção como esta”, afirmou.

Já o empresário Lenildo da Silva, de 52 anos, segurava uma cruz de madeira com os dizeres “Cobrador de Promessas”. “Tudo o que foi prometido na campanha, tudo o que foi mostrado, será cobrado por mim e por milhares de brasileiros”, disse.

De acordo com uma das organizadoras do Muda Brasil, Aucimar Moretti, o movimento não está ligado a nenhum partido político. Ela afirma que o principal objetivo é o combate a corrupção.

“O nosso movimento não tem nenhum partido, é somente de indignação pelo trabalhador que está sem saúde, educação ou segurança. Lutamos contra a impunidade, porque o político só tem medo quando o povo está na rua”, disse.

Durante o protesto, os manifestantes tiraram fotos e faziam filmagem de vídeos para postar nas redes sociais. Segundo a estudante Jhenyffer Lima, ela convocou os amigos pela internet e mais de 50 deles comparecem ao movimento. 

“A internet tem o poder de revolução e hoje estamos aqui para fazer essa revolução”, disse. 

A professora Marilene Costa afirmou que foi para a manifestação por estar cansada da corrupção. "Estou aqui por causa da falta de ética, da corrupção. As pessoas precisam lembrar que dinheiro público é dinheiro do povo", afirma. 

Ainda em Cuiabá, cerca de 300 motoqueiros, caminhoneiros e taxistas percorreram as principais vias da cidade, pedindo o impeachment da presidente do país.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade