EM CARTA, POLICIAL DIZ QUE PEDIU PARA NAMORADA NãO ATIRAR
15.04.2015
THAIZA ASSUNÇÃO 
DA REDAÇÃO
O policial militar Alexssandro Moreira de Oliveira, de 39 anos, que foi baleado com um tiro no rosto no último dia 5, prestou depoimento nesta segunda-feira (13), por meio de carta, ao delegado Antônio Sperândio, da 2ª Delegacia do Carumbé, que investiga o caso.

Alexssandro está internado no Hospital Jardim Cuiabá e chegou a ficar em coma por três dias. Ele ainda não consegue falar e se comunica apenas por escrito.

Na carta, segundo a irmã do policial, Rosemeire Santos de Oliveira Sime, Alexssandro confirmou que o tiro foi disparado pela sua namorada, Ellen Gonçalves Santana, de 34 anos.

“Ele contou que a Ellen pegou a arma em cima da geladeira, onde ele havia guardado. Depois de algumas horas, quando ele foi recolher o lixo para fora, se deparou com ela apontando a arma para ele”, afirmou. 

"Ele contou que a Ellen pegou a arma em cima da geladeira, onde ele havia guardado. Depois de algumas horas, quando ele foi recolher o lixo para fora, se deparou com ela apontando a arma"


De acordo com Rosemeire, o policial afirmou, ainda na carta, que pediu para que Ellen não atirasse, mas ela acabou disparando. 

Segundo a irmã do PM, Ellen é "muito possessiva" e teria brigado com o policial, horas antes de cometer o crime. Para ela, Ellen já teria premeditado o fato. 

“Ela agiu de forma premeditada. Pegou a arma dele e, depois de atirar, alegou que teria tentando suicídio para se safar do crime”, disse.

Recuperação


Conforme Rosemeire, além da carta de depoimento, Alexssandro escreveu uma mensagem para sua mãe, onde ele disse que a ama muito, assim como a todos da família.

"Ele disse que está confiante na sua recuperação e ansioso para voltar para casa", afirmou.

Segundo ela, o quadro médico de Alexssandro é estável e os médicos avaliam a possibilidade de o PM passar por uma cirurgia ainda hoje. 

"Ela agiu de forma premeditada. Pegou a arma dele e, depois de atirar, alegou que teria tentando suicídio para se safar do crime"

“Graças a Deus ele já está apresentando melhoras e o rosto já está bem desinchado”, disse.

A ocorrência


Alexssandro, que faz parte da equipe de segurança do governador Pedro Taques (PDT), foi alvejado com tiro no rosto, na residência de sua mãe, no bairro Jardim Independência, em Cuiabá. 

Conforme o boletim de ocorrência, policiais que faziam rondas pelo bairro se depararam com a mãe da vítima solicitando socorro.

Eles entraram na residência e viram o policial caído em uma área externa.

Ele sangrava muito e foi levado para o hospital. Em seguida, os policiais encaminharam a namorada dele - suspeita do crime - para o Cisc Planalto.

Em depoimento ao delegado Celso Renda Gomes, Ellen Gonçalves confessou que atirou contra o Alexssandro, mas alegou que o disparo foi dado "de forma acidental".

Ela relatou ainda, que estava dormindo próximo a piscina da casa, quando o namorado a acordou com uma mordida no pé e a chamou para ir embora, o que teria a assustado. 

Ellen afirmou que o policial era "apressado" e que, por isso, se levantou rápido para pegar a bolsa, onde tinha guardado a arma que pertencia a ele. Ainda de acordo com ela, ao estender a mão para entregá-lo a pistola, teria ocorrido o disparo. 

A namorada alegou que o policial sempre pedia que ela guardasse a arma e a chave do carro na bolsa dela, quando eles estavam em momentos de lazer, principalmente quando ele estava ingerindo bebida alcoólica.

Ellen está presa na Penitenciaria feminina Ana Maria do Couto May, na Capital. No último dia 10, a juíza Maria Aparecida Ferreira Fago, da 12ª Vara Criminal da Capital, decretou a prisão preventiva dela.
COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade