DOIS SECRETáRIOS DE TAQUES DEVEM DINHEIRO AO FUNDO CULTURAL
01.04.2015

Dois auxiliares do governo do Estado,  Julyene Paola Reis, secretária-adjunta da Casa Civil, e Eduardo Cairo Chilleto, secretário de Estado de Cidades, receberam recursos do fundo estadual da cultura, na gestão passada, e não prestaram contas até o momento.  Paola foi absolvida de umacondenação do TCE, mas continua devendo e terá que prestar contas. Chilleto não prestou contas, apelou com recurso e será novamente

O secretário foi contemplado, há 15 anos, precisamente em 2000, com recursos da ordem de R$ 150 mil, que seriam para promover um concurso sobre o centro histórico de Cuiabá, mas não entregou aos responsáveis do fundo de fomento à cultura , as notas fiscais recibos e nem os memoriais sobre a promoção.

Após auditoria e uma diligência realizada pela Delegacia  Fazendária (Defaz), da Polícia Civil, em junho do ano passado, que investigava promotores de eventos com projetos fantasmas, o caso veio à tona. Em novembro, o atual secretário de Cidades foi notificado, extrajudicialmente, a prestar contas, mas não o fez.

A secretária-adjunta Paola Reis, por seu lado, recebeu R$ 40 mil do mesmo fundo para a realização de uma “Oficina de coral e canto”, mas não entregou as notas fiscais, comprovantes e demais documentos de comprovação da aplicação do recurso público.

Citada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) a devolver os recursos ao erário, Paola recorreu da condenação do TCE, alegando não ter sido notificada, e obteve “perdão”, através do conselheiro Campos Neto.

 O Ministério Público também recomendou ao TCE que faça nova notificação a Paola. Já o secretário Chilleto aguarda decisão, pois também recorreu da recomendação e ameaça de inscrição do seu nome no rol de inadimplentes.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade