ACUSADA DE ATIRAR EM PM Já TERIA AGREDIDO AS FILHAS DA VíTIMA
02.05.2015

Ellen Gonçalves Santana, presa acusada de atirar contra o namorado, o policial militar Alexssandro Moreira de Oliveira, de 39 anos, já responde por agressão às duas filhas do PM, de cinco e 12 anos de idade.

A informação é da mãe das meninas e ex-esposa do policial, Laura Campos Profeta, que chegou a registrar um boletim de ocorrência na Polícia Civil contra Ellen, em 16 de outubro de 2014.

Na ocasião, conforme o Boletim de Ocorrência nº 2014.288630, registrado por Laura, as meninas estavam na casa onde moravam Ellen e Alexssandro. O casal teria começado uma briga e Ellen teria tentado agredir o PM. 

A filha dele, então com 11 anos de idade, tentou defendê-lo, mas acabou levando um tapa da acusada e caiu no chão.

Em seguida, Ellen teria, ainda, agredido verbalmente a outra filha do policial, que na ocasião tinha quatro anos. 

“Ela é altamente perigosa, possessiva e ciumenta. Chegou a dizer que as meninas atrapalhavam o relacionamento deles, porque ela queria sair sozinha com Alexssandro e as meninas os impediam”, afirmou, em entrevista ao MidiaNews.

A mãe das crianças alegou, ainda no B.O., que por diversas vezes recebeu mensagens de Ellen, em seu celular, nas quais ela ameaçava matá-la, caso a encontrasse.

Laura, que foi casado por dez anos com o policial, entrou com um processo contra Ellen, em que acusa a então namorada de seu ex-marido de maus tratos.

Como punição, Ellen foi obrigada a pagar um salário mínimo para a Associação de Amor Exigente (Amae), localizada no bairro Poção, em Cuiabá. 

Reprodução

Justiça obrigou Ellen a pagar salário mínimo à AMAE


Medida protetiva


Na audiência, entretanto, conforme a ex-esposa do policial, Ellen tentou agredi-la e ainda a ameaçou de morte. 

Por conta disso, Laura já possui medida protetiva para que Ellen mantenha distância de aproximadamente 500 metros dela.

“Quero pedir justiça pelo meu ex-marido, pelas minhas filhas e por mim, na questão de segurança, pois sabemos que, infelizmente, ela não irá ficará por muito tempo presa", disse.

"Se ela for solta, poderá querer cometer algo contra mim e as minhas filhas e ao meu ex-marido novamente”, completou. 

Laura disse, ainda, ter medo de sair de casa por conta das ameaças de morte que recebeu de Ellen.

Ela e as filhas, inclusive, recebem tratamento psiquiátrico. 

“Quero que a justiça seja feita. Pois mesmo sabendo que ela está presa, eu e minhas filhas temos que ficar dentro de casa, com medo que ela possa mandar alguém para nos fazer algum mal. Quando temos que sair, saímos com muito medo”, afirmou. Reprodução 

 

Laura Profeta registrou boletim de ocorrência contra Ellen por agressão



Tiro no rosto de PM

Ellen é acusada de atirar no rosto de Alexssandro, na residência da mãe da vítima, no dia 5 deste mês, no bairro Jardim Independência, em Cuiabá. 

Conforme o boletim de ocorrência, policiais que faziam rondas pelo bairro se depararam com a mãe do policial solicitando socorro.

Eles entraram na residência e viram o PM caído em uma área externa.

Ele sangrava muito e foi levado para o hospital. Em seguida, os policiais encaminharam a namorada dele - suspeita do crime - para o Cisc Planalto.

Em depoimento ao delegado Celso Renda Gomes, Ellen Gonçalves confessou que atirou contra o Alexssandro, mas alegou que o disparo foi dado "de forma acidental".

Ellen está presa na Penitenciaria Feminina Ana Maria do Couto May, na Capital.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade