MENDES MANDA INVESTIGAR PATROCíNIO DE R$ 3,6 MI DA PREFEITURA à ESCOLA DE SAMBA MANGUEIRA
17.06.2015
A suposta ausência de clareza no contrato firmado pela Prefeitura de Cuiabá, em 4 de maio de 2012, com a Companhia Multiplicar Produções Ltda e a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, do Rio de Janeiro, no valor de R$ 3,6 milhões, ainda provoca dúvidas. E é para não permitir que eventuais deslizes prejudiquem a municipalidade que o prefeito Mauro Mendes (PSB) instituiu uma comissão para analisar a prestação de contas apresentada pela Estação Primeira de Mangueira.

Leia Mais:
Mauro Mendes assina decreto para retorno da ‘Faixa Verde’

O contrato foi firmado pelo ex-prefeito Chico Galindo (PTB), numa estratégia de marketing traçada por sua equipe em 2011. Na maior festa popular do planeta, a Capital de Mato Grosso foi homenageada, no Carnaval do Rio de Janeiro, com o enredo “Cuiabá: um paraíso no Centro da América”. 
 
Desta forma, o desfile da Mangueira – a escola mais popular do Brasil, em homenagem à Capital mato-grossense, foi realizado em fevereiro, com financiamento de R$ 3,6 milhões da Prefeitura de Cuiabá. A comissão criada por Mendes foi instituída por meio da portaria conjunta n° 001/2015, publicada no Diário Oficial de Contas, que circula nesta terça-feira (16).
 
A investigacao do contrato da Mangueira  envolve servidores de seis secretarias municipais: Allan Rodrigo; da Secretaria Municipal de Governo e Comunicação; Elba Machado Espíndola, da Secretaria Municipal de Planejamento; José Paulo Mota Traven, da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo; e Rober Caio Martins Ribeiro, da Procuradoria Geral do Município (PGM).
 
A equipe tem prazo  de 25 dias – a contar da data de publicação – para avaliar, fiscalizar e aprovar a prestação de contas da transferência de recursos para a escola de samba carioca.  A partir de então, a Controladoria Geral do Município ficará encarregada de receber o processo de prestação de contas com o devido relatório conclusivo emitido pela Comissão, e terá um prazo de cinco dias para emitir parecer sobre o mesmo.
 
Mauro Mendes determinou que, após emissão de parecer da Controladoria Geral do Município, a comissão irá emitir relatório conclusivo.  Em sendo assim, se ocorrer de  a prestação de contas ser rejeitada e/ou o saldo apurado não seja devolvido, o processo será encaminhado para Procuradoria Geral do Município para as providências judiciais necessárias. Se aprovar, o caso estará arquivado.
 
 
No contrato assinado por Galindo, Município ficou responsável pelo suporte financeiro para a realização do desfile, a um custo de R$ 3,6 milhões, dos quais R$ 1,6 milhão foram quitados no ato da assinatura do contrato. O desfile da escola de samba foi realizado em 11 de fevereiro de 2013 e, na época, recebeu severas críticas, especialmente do segmento cultural de Mato Grosso.
 
Em 2013, a Mangueira terminou o Carnaval em oitavo lugar, entre as doze escolas que integram o quadro do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Cuiabá não deu sorte para  a Mangueira, na avenida.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade