“SE BRIZOLA FOSSE VIVO, TAQUES Já TERIA SIDO EXPULSO DO PDT"
22.06.2015

O presidente regional do PDT, deputado Zeca Viana (PDT), voltou a demonstrar sua insatisfação com o fato de o governador Pedro Taques (PDT) não definir sua permanência ou não no partido.

No entendimento de Viana, o governador estaria levando o assunto “na brincadeira”. Isto porque, ele já demonstrou insatisfação com o partido, chegando a sinalizar a saída, mas ainda assim continua filiado à agremiação.

O deputado disse que, se o fundador do PDT, o ex-governador Leonel Brizola, estivesse vivo, Pedro Taques já teria sido expulso do partido.

"Se o Leonel Brizola estivesse vivo, ele já teria tomado essa decisão há muito tempo. Com ele não tinha meio termo, ele ‘patrolava’ mesmo"

“O Pedro está levando a coisa até na brincadeira, pois ele já sinalizou, já tornou pública a vontade de sair do PDT. Diante disso, já caberia - se o presidente quisesse - uma expulsão. Está previsto no nosso estatuto”, afirmou Viana, em entrevista ao MidiaNews.

“Inclusive, se o Leonel Brizola estivesse vivo, ele já teria tomado essa decisão há muito tempo. Com ele não tinha meio termo: ‘patrolava’ mesmo”, disse o deputado.

Apesar de citar a possibilidade de expulsão, Viana disse que essa não seria a melhor solução para resolver o impasse.

“Não é isso que queremos, queremos que o governador saia pacificamente e vá para um partido onde ele se sinta à vontade”, afirmou o pedetista.

“Chove e não molha”

Zeca Viana defendeu que a presidência nacional do PDT, sob o comando de Carlos Lupi, cobre uma definição, imediata, da parte do governador Pedro Taques.

“Inclusive, falei ao presidente que precisamos cobrar a definição dele (Taques). Ele precisa tomar uma decisão imediatamente”, disse.

Ainda segundo Viana, a indefinição de Taques é prejudicial ao partido e, na próxima semana, ele irá a Brasília se reunir com Carlos Lupi para tratar do assunto.

“Essa indecisão dele está me travando no partido. Preciso fazer crescer o partido, visitar o interior, mas, com esse ‘chove e não molha’, não tem jeito. Fica difícil explicar para os companheiros do PDT”, afirmou.

“No caso de ele tomar uma decisão, a gente sai mais aliviado. Aí, vamos levantar a cabeça e ir atrás de nomes para disputar as eleições de 2016 e de 2018”, disse.

 

"Essa situação está mostrando uma incapacidade de decisão do governador Pedro Taques"

Insegurança e incapacidade



O deputado Zeca Viana atribuiu a indefinição de Pedro Taques à uma insegurança e a uma incapacidade de tomar decisão.

“Ele está mostrando a falta de segurança para tomar uma decisão. O que não é bom para ele, como governador. Essa situação está mostrando uma incapacidade de decisão da parte do Taques”, disse.

“E, no meu ponto de vista, a indefinição acontece por falta de visão dele. Acredito que falta segurança e que ele ficou meio perdido”, afirmou.

“Partido do Taques”


Na avaliação de deputado, Taques encontrará sérias dificuldades em qualquer uma das siglas que, por ventura, venha se filiar.

“Ele já falou que as ideias dele não se afinam ou não estão batendo muito com o PDT. Até brinquei dizendo que, então, ele precisa fazer um partido só pra ele. Pois nos outros vai ser muito pior”, ironizou.

"Ele já falou que as ideias dele não se afinam ou não estão batendo muito com o PDT. Até brinquei dizendo que, então, ele precisa fazer um partido só pra ele"

“No meu modo de pensar, não vai ser fácil para ele se adaptar em outro partido”, comentou.

“Chega de conversa bonita”

Por fim, Zeca Viana ainda avaliou a gestão do governador Pedro Taques e sugeriu que o chefe do Executivo pare de “olhar para o passado” e faça um real enfrentamento dos problemas do Estado.

“Ele precisa soltar o Estado, hoje o Estado está algemado e engessado. Tínhamos quatro bandeiras na campanha: Saúde, Segurança, Educação e o combate à corrupção. Mas, não precisa ele estar combatendo diretamente a corrupção, manda denúncia para o Ministério Público, que vai investigar. Acontece que ele está pensando muito no passado, temos que olhar para frente”, afirmou.

“Já foram 180 dias de Governo, o tempo passa rápido, ele precisa correr, ver as prioridades e trabalhar. Chega de ficar criticando ou conversando bonito, o negócio agora é concretizar as ações”, finalizou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade