RECéM-NASCIDO ESPERA 10 DIAS POR VAGA EM UTI E MORRE EM MT
08.06.2015

Um bebê recém-nascido morreu neste domingo (7) ao aguardar por  uma cirurgia para a retirada de um tumor na cabeça. A família da criança alega que houve demora na liberação de vaga em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A transferencia para o Hospital Regional de Cáceres, a 220 km da capital, só ocorreu 10 dias após o nascimento dele, em Sinop, a 503 km de Cuiabá,

O bebê foi transferido de avião para Cáceres na manhã deste domingo (7) e morreu à noite. O hospital em que ele estava, que é particular, deixou de atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS) por falta de repasse do governo do estado. A criança só foi transferida após determinação judicial.A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que os atendimentos pelo SUS, entre os meses de janeiro e março, já foram pagos. Os atrasados chegaraim a R$ 8 milhões. Informou ainda que os repasses de abril e maio ainda passarão por auditoria. 

O pai do menino disse se sentir agradecido pela mobilização em prol de uma vaga de UTI para o filho. "Agradeço a mobilização da cidade, que foi fundamental para conseguir essa vaga na UTI", disse o autônomo Moisés Alves.

Pais acionaram a Justiça em busca de vaga de UTI para bebê. (Foto: Reprodução/ TVCA)Pais acionaram a Justiça em busca de vaga de UTI para
bebê. (Foto: Reprodução/ TVCA)

A mãe relatou que o bebê sofreu uma parada cardíaca logo após o nascimento. "O médico descobriu que ele tinha um tumor na cabeça. Ele teve uma parada cardíaca logo após o nascimento", contou Celiane Ribeiro. 

O hospital onde o bebê nasceu, em Sinop, possui 10 leitos de UTI neonatal, mas eles estão fechados desde março. Segundo a administração da unidade, o fechamento ocorreu porque o estado não estava fazendo os repasses usadas para a manutenação das UTIs. Segundo eles, a dívida seria de quase R$ 12 milhões.

Para o vice-presidente do Conselho de Medicina de Sinop, Frederico Bussolaro, o caso de Pedro expôs a relação crítica entre o hospital Santo Antônio e o governo do estado. "O Santo Antônio alega que não tem repasse, um repasse criterioso, ordenado, mês a mês, desde meados do ano passado. Agora, a conta do hospital não bate com a do estado e ninguém consegue sentar e esclarecer", avaliou.

A direção do Hospital Santo Antônio informou que a unidade não realiza mais nenhum atendimento pelo SUS, até que a situação seja regularizada.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade