'CONFIAVA', DIZ MãE DE ALUNA ABUSADA POR PROFESSOR EM AULA DE VIOLãO EM MT
29.06.2015

Professor preso por abuso de 3 alunas era simpático e religioso, afirma mãe.
Segundo delegado, professor se aproveitava de momentos a sós com vítimas.

 

A mãe de uma aluna que teria sido abusada pelo professor durante aulas de violão em uma escola de música, emSinop, a 503 km de Cuiabá, disse que nunca imaginava que o suspeito, preso na sexta-feira (26), pudesse cometer os abusos, já que era religioso e atuava há mais de 10 anos na área. A vítima tem 10 anos.

Além dela, a polícia já identificou outras duas vítimas menores que ela, que também seriam abusadas sexualmente durante as aulas de música. Na delegacia, a reportagem tentou falar com a advogada de Magno Caires Correia, mas ela não quis se manifestar."Nós queremos Justiça porque fica uma sensação de dor. Os pais se sentem impotentes porque a gente faz de tudo para proteger os filhos e daí acontece isso. E ele é uma pessoa extremamente simpática e a gente confiava nele", disse a mãe, que pediu para não ter o nome divulgado.

A mãe disse ainda que, quando chegava à escola para levar e buscar a filha, o professor sempre a recebia de forma educada e falava de Deus. "Ele era religioso, falava de Deus, de amor ao próximo. No entanto, é uma pessoa fria e que não tem nenhum tipo de sentimento ao próximo. Para mim, ele não consegue perceber a dor que causa às vítimas", avaliou.

O professor de 40 anos teve a prisão decretada por estupro de vulnerável. Três pessoas procuraram a polícia para denunciá-lo. No entanto, conforme o delegado Carlos Eduardo Muniz, o número de vítimas pode ser maior, já que o professor trabalha há vários anos nessa escola.

Abusos ocorriam durante aulas em escola de música, segundo o delegado. (Foto: Reprodução/ TVCA)Abusos ocorriam durante aulas em escola de música, segundo o delegado. (Foto: Reprodução/ TVCA)

O delegado afirmou que o professor se aproveitou do momento em que ficava sozinho com as alunas. "Ele se aproveitava da circunstâncias para passar a mão nas alunas, nas partes intímas delas. O que nos chamou a atenção foi a falta de ligação entre as vítimas, que pertenciam a círculos de amizades diferentes. Elas não tinham contato umas com as outras. Por isso, acreditamos que deve ter outras vítimas", disse o delegado.

Ainda segundo o delegado, o professor é suspeito de ter cometido o mesmo tipo de crime em Minas Gerais. Após ser interrogado, na sexta-feira, ele foi interrogado e encaminhado para a Penitenciária Osvaldo Florentino Leite, o ‘Ferrugem‘, em Sinop. As investigações sobre o caso devem ser concluídas em até 30 dias. 

Na escola de propriedade do professor, os policiais apreenderam um computador e pendrive, que deverão ser periciados. Existe a suspeita de que ele teria aliciado crianças e adolescente pela internet, de acordo com a polícia.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade