GAECO INVESTIGA 29 PESSOAS QUE ESTARIAM ENVOLVIDAS EM ESQUEMA NA ASSEMBLEIA CONFIRA LISTA COM FOTOS
10.07.2015

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investiga 29 pessoas pela suspeita de receber parte dos R$ 9,032 milhões desviados da Assembleia Legislativa. Durante a Operação Ventríloquo, desencadeada em 1º de julho, a juíza Selma Rosane de Arruda determinou a prisão de José Geraldo Riva, Luiz Márcio Bastos Pommot e Júlio Cesar Domingues Rodrigues.

Leia mais
14 pessoas teriam sido beneficiadas em suposto esquema de Riva

Júlio é advogado e teria intermediado uma negociata envolvendo um débito da Assembléia Legislativa em face do Banco HSBC, relativo a uma contratação de seguros para os servidores da Casa, que não havia sido paga.

Já Pommot, na qualidade de Secretário Geral, teria agilizado o processo de pagamento e prestado a assessoria necessária para a sua tramitação, após a prévia aprovação e elaboração de parecer positivo por parte do Procurador-Geral, Anderson Flávio de Godoi.

Riva, por sua vez, seria o chefe da quadrilha, com “alto grau de periculosidade, com forte tendência para a reiteração em crimes desta natureza”.

Riva teria assinado contratos de seguro em favor dos servidores da ALMT, contudo, embora os servidores tenham sido beneficiados no período de dois anos pelo referido seguro, o valor dos prêmios mensais não foi pago à seguradora do HSBC, razão pela qual foi ajuizada ação para o recebimento do montante devido, contudo, o departamento jurídico do Banco era um pouco desorganizado, razão pela qual esse processo da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso nunca constou na relação de ações ajuizadas pela seguradora do HSBC e até hoje está em trâmite no STJ.



Segundo o delator Joaquim Fábio Mielli, a ALMT pagaria o valor cheio da dívida, que era em torno de R$ 9 milhões, e metade desse valor (aproximadamente. R$ 4,5 milhões) não seria entregue ao HSBC e nem ficaria com ele, mas sim seria depositado em contas indicadas por José Geraldo Riva. Que toda a conversa sobre a negociação e a "devolução" de 50% foi direcionada por José Geraldo Riva.

Riva foi solto por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) ainda no dia 1º de julho. Pommot continua preso, enquanto Júlio César estaria foragido.

Das 29 pessoas investigadas, 14 foram conduzidas coercitivamente por determinação da magistrada.

Veja a lista:

Confira os nomes e ocupações de cada pessoa conduzida coercitivamente:

1 - Anderson Flávio de Godoi – Advogado, ex-procurador da Assembleia Legislativa.

2 - Ana Paula Ferrari Aguiar – Ex-assessora técnica jurídica da Assembleia Legislativa.

3 - Rodrigo Santiago Frison - Sócio/proprietário da CANAL LIVRE COMERCIO E SERVIÇOS LTDA.

4 - Dulcineia Rufo Cavalcante Cini - Sócia/proprietária da empresa CINI & CAVALCANTE CINI LTDA.

5 - Marcelo Henrique Cini - Sócio/proprietário da empresa CINI & CAVALCANTE CINI LTDA.

6 - José Antonio Lopes - Sócio/proprietário das empresas FH COMÉRCIO DE COMBUSTÍVEIS LTDA e REDE SHOP COMÉRCIO DE COMBUSTÍVEIS LTDA — ME.

7 - Patrícia Fernanda da Silva - Sócia/proprietária da empresa FH COMÉRCIO DE COMBUSTÍVEIS LTDA.

8 - Renato de Abreu - Sócio/proprietário da empresa GLOBO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA — ME.

9 - Thiago Calacá Pedroso - sócio/proprietário da empresa GLOBO INDÚSTRIA E COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA — ME.

10 - Claudinei Teixeira Diniz - Sócio/Proprietário da MIRAMED COMERCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA.

11 - Valquíria Marques Souza Diniz - Sócia/Proprietária da MIRAMED COMERCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA.

12 - Sidney Pereira Machado - Sócio/proprietário da REDE SHOP COMERCIO DE COMBUSTÍVEIS LTDA — ME.

13 - José Aparecido dos Santos - Sócio/proprietário da UNIÃO AVÍCOLA AGROINDUSTRIAL LTDA.

14 - Marli Becker - Sócia/proprietária da UNIÃO AVÍCOLA AGROINDUSTRIAL LTDA.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade